Carille exalta números da defesa: 'É coisa de Juve, Atlético de Madrid'

No Brasil, porém, o Alvinegro não está tão absoluto na liderança do primeiro quesito, mantendo o critério de ignorar a qualidade dos adversários

Comentar
Compartilhar
03 JUN 2017Por Gazeta Press15h30
Carille exaltou o desempenho defensivo do TimãoFoto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

O técnico Fábio Carille ficou impressionado ao receber uma informação no começo desta semana: dos 32 jogos disputados pelo Corinthians na temporada, a equipe conseguiu não sofrer gols em 17 deles. Contente por saber algo que ele “nunca havia pensado sobre”, o treinador se animou durante a entrevista coletiva concedida na tarde desta sexta-feira, no CT Joaquim Grava, e comparou os números aos das defesas mais exaltadas do mundo, como as de Juventus e Atlético de Madrid.

“Fizemos 32 jogos no ano, desde a Flórida, e em 17 a gente não tomou gol. Não sei se tem alguém ai no mundo que consegue isso aí, é coisa de Juventus, Atlético de Madrid, mas de Brasil a gente está muito na frente”, comentou o treinador, relembrando dois clubes que fazem sucesso no futebol europeu por apostarem em um estilo mais defensivo do que os ofensivos Bayern, Barcelona e Real Madrid.

“Eu olho muito jogo a jogo, não tinha esses números, fiquei muito orgulhoso com isso. Muito mesmo”, disse o comandante, antes de saber que, em uma comparação absoluta, ignorando a dificuldade dos adversário, o Timão até supera a dupla citada. Ileso em 53% das partidas nas quais entrou em campo, o clube do Parque São Jorge também ostenta apenas 17 tentos sofridos em 2017.

A Juventus e o Atlético de Madrid, por sua vez, têm números praticamente iguais: 60 jogos realizados na temporada 2016/17 e 30 deles sem serem vazados pelo adversário. A Juve ainda pode ampliar esse retrospecto caso não sofra gols do Real Madrid na final da Liga dos Campeões, neste sábado, às 15h45 (de Brasília), em Cardiff, no País de Gales. Ainda assim, ficaria um pouco abaixo do Corinthians: 51,6% de jogos sem o goleiro buscar a bola na rede.

Em gols tomados, a Juve sofreu 43 e o Atleti, 46, construindo médias de 0,71 e 0,76 gol sofrido por jogo, respectivamente. Carille e sua trupe, dessa vez, superam os adversário com bastante facilidade: apenas 0,53 gol sofrido a cada vez que entraram em campo neste ano.

No Brasil, porém, o Alvinegro não está tão absoluto na liderança do primeiro quesito, mantendo o critério de ignorar a qualidade dos adversários. Dos 33 jogos que o Tricolor de Aço fez em 2017, ele passou 21 sem sofrer gol (64% das partidas), colocando-o como o de melhor aproveitamento no quesito na Série A. Na média, por outro lado, está um pouco à frente: os baianos levaram 18 gols em 33 partidas, uma média de 0,54 gol sofrido/jogo.

Alheio a isso, Carille quer que o time mantenha um ritmo de muita intensidade no clássico contra o Santos, neste sábado, às 19h (de Brasília), no estádio de Itaquera, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Reconhecendo a qualidade do elenco rival, ele prometeu uma equipe marcando o Peixe no campo do adversário.

“Espero um jogo de muita intensidade, vamos procurar pressionar o Santos o tempo todo no campo deles, tendo os cuidados defensivos de sempre, principalmente com o Ricardo Oliveira. Espero um começo bastante estudado, mas depois com muita intensidade”, avaliou, reconhecendo que as ausências de Lucas Lima e Zeca podem contribuir para a atuação corintiana no embate.

“O Lucas Lima é um jogador muito importante para o futebol brasileiro, mas o Santos tem um elenco forte. Claro que perde um pouco, mas a gente tem que entrar concentrado para conseguir vencê-los dentro de casa”, concluiu Carille.