Buscando acordo, Santos e Robinho voltam a se reunir nesta terça

Na semana passada, o Santos também quitou sua dívida com o atleta, que já beirava os R$ 3,5 milhões em função de cinco meses de salários de imagem atrasados

Comentar
Compartilhar
26 MAI 201513h57

Mais um capítulo sobre o futuro de Robinho deve ser escrito nesta terça-feira. Depois de muita polêmica, rescisão com o Milan, cobrança de dívida, acerto de contas e uma primeira reunião, Santos e Marisa Alija Ramos, representante do jogador, voltam à mesa para tratar sobre a renovação contratual do atacante.

Na sexta-feira, Modesto Roma Jr disse à imprensa ter aprovado o primeiro contato com o staff do seu principal jogador. A reunião inicial foi importante para o Peixe ter uma real dimensão do que Robinho pretende receber para assinar uma extensão de vínculo e, da mesma forma, para o clube expor suas condições atuais e quanto pretende oferecer.

“Vamos fazer a lição de casa, a doutora Marisa a dela, para podermos chegar na terça-feira e fazermos a segunda reunião. Depois faremos a terceira, a quarta... não é uma novela, é uma negociação na qual cada um tem que fazer a sua parte para todo mundo ficar satisfeito”, comentou o presidente do alvinegro praiano, logo após o encontro de sexta-feira.

Na semana passada, o Santos também quitou sua dívida com o atleta, que já beirava os R$ 3,5 milhões em função de cinco meses de salários de imagem atrasados. O problema é que Robinho não tem intenção de diminuir sua renda de R$ 1 milhão por mês. Atualmente, o camisa 7 recebe R$ 700 mil em direitos de imagem e R$ 300 mil na carteira (CLT).

Após pagamento de dívida, Santos busca renovar com o atacante Robinho (Foto: Divulgação/SFC)

"Na minha vida quero melhorar em tudo, meu chute de perna esquerda e direita, isso tem que melhorar também. Se tratando de Santos, a gente conversa, paga daqui a 10 anos, um adiantamento... quando as duas partes querem dá para conversar", avisou o próprio jogador, durante sua polêmica entrevista coletiva, quinta passada, quando chegou a admitir que pode vestir a camisa até mesmo do Corinthians, do São Paulo ou do Palmeiras, caso receba uma proposta que o satisfaça.

“Temos de ter a responsabilidade de pagar o que podemos pagar, o atleta tem que ter a consciência de que esse provavelmente será o grande contrato definitivo da carreira, então, ele também tem que pensar que é o maior contrato que ele vai ter daqui para frente, temos que chegar a um ponto de equilíbrio entre o que o Santos pode pagar e o atleta precisa receber”, disse o mandatário santista, deixando claro que o clube não tem receita suficiente para arcar com um investimento dessa proporção neste momento de crise financeira e que, portanto, uma meticulosa engenharia em cima dos valores envolvidos terá de ser feita para que se chegue a um acordo.

O contrato de Robinho termina dia 30 de junho. O jogador se apresenta à Seleção Brasileira dia 1º de julho e só volta após a Copa América, isso se a renovação for acertada. Se as tratativas não avançarem, Robinho fará sua despedida com a camisa do Santos neste domingo, contra o Sport, na Vila Belmiro.