Brunoro pode adiar dívida do Grêmio e quer Marcelo Moreno ou Kleber

Os atletas cedidos ainda podem ser Marcelo Moreno ou Kleber, odiado por boa parte de sua torcida

Comentar
Compartilhar
19 FEV 201313h57

O Palmeiras tem direito a mais um jogador do Grêmio para concluir a negociação de Barcos, e José Carlos Brunoro admite que o pagamento da ‘dívida’ seja feito mais para frente. Os atletas cedidos ainda podem ser Marcelo Moreno, apesar de seu pai e empresário ter chamado o clube de fracassado, ou Kleber, atacante odiado por boa parte de sua torcida pela forma como deixou o clube há menos de dois anos.

“O Marcelo Moreno pode vir. E o Kleber também. Temos portas abertas para todo bom jogador no Palmeiras”, disse o diretor executivo à rádio Bandeirantes. “Temos uma vaga no Grêmio ainda, e não temos pressa. Pode ser para a Série B, um pouco mais para frente ou alguém que se destaque após a Libertadores. E se ninguém vier, receberemos uma compensação financeira.”

Em relação ao Gladiador, a volta depende do jogador. À Gazeta Esportiva.net, Brunoro garantiu que, por enquanto, nenhuma negociação foi iniciada. O Grêmio também se posiciona informando que a liberação dele só deve ocorrer depois da Libertadores. Mas o retorno ao Verdão não está descartado, e caberá ao atacante.

Contratados para formar o ataque titular do Grêmio em 2012, Kleber e Marcelo Moreno já são colocados à disposição (Fotos: Divulgação/Grêmio F. B. P. A.)

“Sei que a torcida não gosta e tal, mas por que não o Kleber chega para cá, conversa com a torcida e faz uma série de coisas? Todo bom jogador tem espaço no Palmeiras, e se houver possibilidade vou fazer o possível para adaptá-lo”, insistiu Brunoro sobre o atleta vinculado ao Tricolor gaúcho até 30 de novembro de 2016.

Já Marcelo Moreno, primeira opção inclusive nos pedidos de Gilson Kleina, se movimentou para diminuir qualquer rejeição que possa ter pelas declarações de seu pai. “Depois da entrevista do pai dele, o Marcelo Moreno me mandou um torpedo pedindo desculpa, dizendo que o pai dele é muito emotivo. Ainda tenho esse torpedo no meu celular. Aceitei numa boa”, comentou Brunoro.

Apesar de ter contrato com o boliviano até 31 de dezembro de 2015, o Grêmio o liberou para o Verdão, colocando-o inclusive na lista da negociação com Barcos ao lado de Vilson, Léo Gago, Rondinelly e Leandro, que já acertaram com o Palmeiras. “A única coisa que ficou um pouquinho para trás foi com o Marcelo Moreno, até pela situação do pai dele. Os outros estavam combinados não comigo, mas com o Grêmio”, falou Brunoro.

Em relação ao ataque, o dirigente disse que não há “nenhuma possibilidade” de contratação de Borges, do Cruzeiro, mas contratações para o setor é uma necessidade. “Não tem que esconder sol com a peneira, não tem jeito”, admitiu o diretor executivo.

Na zaga, o nome de Cléber, da Ponte Preta, interessou, mas foi descartado. “Tive uma situação de passar por cima da Ponte Preta e resolvemos não fazer. O Paulo Nobre ligou para o presidente da Ponte Preta ficar tranquilo”, revelou Brunoro.