SEDUC

Brasil vive momento de incertezas no UFC após caso de doping de Anderson Silva

Ainda em alta no País, o MMA tem talentos e candidatos a donos de cinturão em diversas categorias

Comentar
Compartilhar
15 FEV 201512h28

O Brasil vive um momento de incertezas após o caso de doping de Anderson Silva, mas alguns lutadores mostram que existe uma luz no fim do túnel. Ainda em alta no País, o MMA (Artes Marciais Mistas, da sigla em inglês) tem talentos e candidatos a donos de cinturão em diversas categorias. São os casos de veteranos como Vitor Belfort, Lyoto Machida e Junior Cigano, de campeões como José Aldo e Fabricio Werdum, e promessas como Rafael dos Anjos, John Lineker, Edson Barboza, Gilbert Durinho, Thominhas Almeida e Claudinha Gadelha.

Em comum, todos querem se manter ou chegar ao topo. O sonho, quem sabe, é alcançar o status que atingiu Anderson Silva antes de perder o cinturão dos médios para Chris Weidman. O mais forte candidato no momento é Vitor Belfort, que tem 37 anos e vai disputar o cinturão contra o carrasco de Spider provavelmente no dia 23 de maio. Se vencer, ganhará seu terceiro cinturão no UFC e colocará mais um feito em sua carreira vitoriosa.

Além do “Fenômeno”, outros três lutadores que já tiveram o cinturão nas mãos e sonham com uma nova sequência vitoriosa podem brilhar na temporada. Lyoto Machida (36 anos), Junior Cigano (31) e Renan Barão (28) vão estar em ação. Lyoto encara Luke Rockhold em abril e, caso vença, pode ser o desafiante do campeão. Já Barão disputa no mesmo mês o título e quer retomar o cinturão das mãos de TJ Dillashaw. E Cigano é sempre um dos pleiteantes do título. E possível incluir nesse trio Ronaldo Jacaré, que tem 35 anos, ainda não perdeu no UFC em quatro lutas e está perto de disputar o cinturão. Ele encara o cubano Yoel Romero no fim do mês.

Dos brasileiros que estão no topo, José Aldo e Fabricio Werdum, a missão será complicada. Aldo é o melhor lutador nacional da atualidade, tem um cartel de 25 vitórias e apenas uma derrota no MMA, mas vai encarar em julho o bom e falastrão irlandês Conor McGregor, pelo cinturão dos penas. Em todas as defesas de cinturão, Aldo jamais perdeu. Já Werdum é campeão interino dos pesados, mas terá de colocar o cinturão diante do mexicano Cain Velasquez. A unificação do título será em 13 de junho, na Cidade do México.

Anderson Silva foi pego em exame antidoping (Foto: Divulgação)

Nova safra

Em 14 de março, Rafael dos Anjos vai subir no octógono para tentar tirar o cinturão das mãos de Anthony Pettis. Aos 30 anos, ele sabe que seu momento chegou. Nessa mesma categoria, a dos leves, outro brasileiro desponta com seus belos chutes: o carioca Edson Barboza, 29 anos, que é sexto no ranking e vai encarar o norte-americano Michael Johnson no primeiro evento do UFC em Porto Alegre, no próximo sábado. O lutador é um dos destaques do evento que terá como luta principal Pezão x Frank Mir.

Outro nome nacional que está começando a chamar a atenção é Gilbert Durinho, de 28 anos, pupilo de Vitor Belfort na academia Blackzillians. Invicto no MMA até agora, com nove lutas sem derrota, ele vai encarar no próximo mês o norte-americano Josh Thomson para ampliar sua sequência vitoriosa.

Entre os mais jovens se destacam John Lineker, 24 anos, que se não fosse o problema com a balança - ele costuma não bater o peso antes das lutas -, já teria disputado o cinturão. Com mãos pesadas, ele vem de vitória sobre Ian McCall no UFC 183, mesmo evento que teve o retorno de Anderson Silva, mas deve subir de categoria para não vacilar mais com o peso. Vale destacar também Thominhas Almeida, sensação de 23 anos que em 18 lutas no MMA nunca perdeu. Em abril, ele vai encarar o experiente Yves Jabouin para tentar subir degraus no UFC.

No feminino, Claudinha Gadelha vem de uma derrota para Joanna Jedrzejczyk por decisão dividida, em resultado muito contestado. Mas a potiguar de 26 anos está em segundo no ranking de sua categoria e agora vai encarar a irlandesa Aisling Daly em abril para se credenciar novamente para a disputa do cinturão.