Brasil vence o México na Copa das Nações nesta sexta-feira

Seleção Brasileira enfrenta a Holanda na manhã deste sábado, dia 26, às 10h, na Praia do Gonzaga, em Santos.

Comentar
Compartilhar
25 JAN 201319h39

O Brasil começou bem a caminhada rumo ao bicampeonato da II Copa das Nações. Diante de arquibancadas lotadas, a Seleção Brasileira contou com seu ‘sexto jogador’ para derrotar o México por 5 a 2 (gols de Daniel (3) e Bruno Xavier (2), para os brasileiros, e Plata (2), para os mexicanos), há pouco, na tarde desta sexta-feira, dia 25, estreando com vitória na competição, que está sendo disputada na arena montada na Praia do Gonzaga, em Santos (SP).

No primeiro jogo da rodada de abertura, a Suíça, vice-campeã mundial em 2009, passou pela Holanda, classificada para a Copa do Mundo FIFA 2013, por 5 a 4 (gols de Spacca, Stankovic, Meier, Borer e Valentin, para os suíços, Kaleveld, Ax, Koswal e Summerville, para os holandeses), em partida emocionante.

O Brasil volta à quadra na manhã deste sábado, dia 26, às 10h (horário de Brasília), para enfrentar a Holanda - o canal SporTV transmite ao vivo para todo o país. Autor de três gols, Daniel exaltou a boa atuação da Seleção Brasileira. Júnior Negão destacou a concentração do grupo e falou sobre o próximo adversário.

"A Holanda tem bom toque de bola e entrosamento. É um time perigoso, vi a partida deles contra a Suíça e não podemos dar espaços para os chutes. Temos que marcar forte e jogar com inteligência, é um adversário que conhecemos pouco, precisamos ter atenção do primeiro ao último minuto e impor o nosso ritmo para sair com mais uma vitória", frisou o treinador.

"Foi uma boa atuação, conseguimos ajustar a marcação, criamos bons contra-ataques e só faltou um pouquinho de atenção nos lances de falta", disse Daniel, que tem 95 gols com a camisa amarelinha.

Bruno Xavier marcou dois gols na vitória do Brasil (Foto: Divulgação)

Reeditando o confronto do último domingo, quando venceu o México e conquistou o eneacampeonato invicto da Copa América, o Brasil levava para a quadra a confiança das boas atuações da Copa América. O primeiro bom momento foi do México, quando Villalobos arriscou a bicicleta, mas o chute saiu fraco. Em seguida, Estrada fez lançamento longo, Benjamin não conseguiu cortar, Plata dominou e bateu cruzado: 1 a 0, aos 1’35". Segundos depois, Benjamin teve a oportunidade do empate, depois que foi derrubado na área. Mas o camisa 10 não bateu bem o pênalti e o goleiro mexicano fez a defesa.

O México jogava recuado, dava campo aos brasileiros, apostando em saídas no contra-ataque e nas cobranças de falta. A Seleção Brasileira não ameaçava, o ritmo era lento e a torcida tentava ‘empurrar’ a equipe à frente. Deu certo. Sidney tocou para Jorginho, que lançou a bola na área. Daniel apareceu atropelando Plata para conferir de cabeça: 1 a 1, aos 6’16". O gol acordou o Brasil. Jorginho quase aumentou de bicicleta. Daniel, de peixinho, aproveitando cobrança de escanteio de Jorginho, virou o placar: 2 a 1, aos 6’47". O México quase empatou em chutes perigosos de Cati e Rosales, com excelentes defesas de Leandro Fanta, pouco antes do fim do primeiro período.

Negão mandou Mauricinho à quadra, para reforçar as jogadas de pivô. Mas não deu resultado. Pouco criativo, o Brasil esbarrava na marcação dos rivais, que pouco ameaçavam a meta de Leandro. Bruno Xavier, cobrando falta com raiva, aumentou: 3 a 1, aos 5’39". Na comemoração, Xavier homenageou a esposa Mariângela, grávida de gêmeos. Foi Bruno Xavier quem inaugurou a goleada. O capixaba sofreu falta de Pichardo na intermediária de ataque. Em chute frontal, Xavier encheu o pé, sem chances para Estrada: 4 a 1, aos 7’48". E nova homenagem à esposa e aos filhos, que devem nasceu em agosto. Jorginho tocou na saída de Estrada e o defensor mexicano tirou a bola depois da linha imaginária. A arbitragem não validou e, enquanto os brasileiros protestavam, Plata foi derrubado na área brasileira. Pênalti cobrado com categoria: 4 a 2, aos 8’57. O México ainda pressionou, Cati acertou a trave de Fanta, mas o placar se manteve no fim da segunda parcial.

O Brasil voltou bem na etapa final. Benjamin arrancou em diagonal, passou por Pichardo e Cati, mas o chute saiu forte, muito alto, sem perigo para Estrada. Tranquilo e tocando bem a bola, usando sua maior categoria, a Seleção Brasileira trocava passes pelo alto. Plata obrigou Fanta a se esticar todo em cobrança de falta, mandando a bola para escanteio, aos 5’33". Fanta estava bem na partida, seguro e bem posicionado, e operou um milagre após a cabeçada de Villalobos e, na sequência, na dividida com López.

O camisa 12, que substituiu Mão - que sofreu fratura no dedo mínimo da mão direita -, fez outra boa defesa em chute de Estrada. O Brasil se defendia, dava campo aos adversários e o goleiro brasileiro aparecia com segurança. Daniel, cobrando pênalti aos 57 segundos, selou a boa vitória brasileira: 5 a 2. Manutenção da invencibilidade diante dos mexicanos em 19 partidas e foco na Holanda, próximo adversário na caminhada rumo ao bicampeonato.