Banner gripe

Brasil vence na prorrogação e fatura Mundial de Futsal

A Seleção Brasileira sofreu muito, precisou ir para a prorrogação, mas venceu a Espanha por 3 a 2

Comentar
Compartilhar
18 NOV 201220h20

A conquista deste domingo (18)  teve ainda mais significado por acontecer diante do principal rival brasileiro na luta pela hegemonia no futsal. A Espanha havia conquistado dois dos últimos três Mundiais e estava em busca de seu terceiro troféu. No entanto, como há quatro anos, quando venceu nos pênaltis os próprios espanhóis, o Brasil deixa a competição com o troféu.

Neto apareceu neste domingo como herói de uma seleção que não teve seu principal jogador em plenas condições físicas. Falcão atuou em poucos momentos da decisão, graças à lesão na panturrilha, sofrida no início do Mundial, e à paralisia facial, fruto do estresse pela contusão. Mesmo assim, o craque marcou o segundo gol brasileiro, na etapa final, quando a Espanha vencia por 2 a 1.

O jogo deste domingo começou bastante truncado e equilibrado, como já era esperado. A Espanha tinha mais posse, enquanto o Brasil tentava responder nos contra-ataques. Em um deles, Fernandinho recebeu pela esquerda e levou perigo ao gol espanhol pela primeira vez.

A dois minutos para o fim do primeiro tempo, Rafael, após jogada de pivô de Jé, finalizou com perigo. Mas a última chance foi mesmo da Espanha, novamente com Fernandão, que desviou falta batida do meio da quadra e ficou a centímetros de abrir o placar.

É o quarto título mundial do Brasil em cinco finais contra a Espanha (Foto: Associated Press)

A pressão surtiu efeito aos cinco minutos. Aproveitando uma desatenção da defesa espanhola, a seleção brasileira bateu rapidamente escanteio pela esquerda. Neto recebeu e bateu de primeira, forte, no canto esquerdo de Juanjo, que não chegou a tempo.

O gol desestabilizou o Brasil, que levou o segundo logo na sequência. Aicardo recebeu cobrança de lateral pela esquerda e bateu de primeira, de longe. A bola desviou em Ari e foi em cima de Tiago, que falhou e acabou deixando passar por entre suas pernas.

A menos de dois minutos para o fim, Rodrigo perdeu um tiro livre de dez metros e a decisão parecia ir para os pênaltis. Foi então que apareceu a qualidade de Neto. O jogador, destaque brasileiro no Mundial, recebeu pela esquerda, deu lindo drible em Fernandão e bateu cruzado, a 19 segundos para o fim, para definir o título a favor da seleção.

Neto é eleito o melhor jogador do Mundial

Além do título na Copa do Mundo de futsal, o jogador Neto tem um motivo a mais para comemorar: ele foi o vencedor da Bola de Ouro, prêmio dado pela Fifa ao melhor jogador do campeonato. “Foi inesquecível, fico muito feliz pelo prêmio, era uma coisa que ninguém esperava”, declarou o jogador em entrevista ao canal Sportv. “Graças a Deus, eu estou feliz demais e nós somos campeões”, vibrou Neto.

Neto marcou o primeiro e o terceiro gol brasileiro na decisão (Foto: Associated Press)

Falcão supera dificuldades e vibra com mais um título

Ídolo da Seleção Brasileira de futsal, o craque Falcão marcou o gol que levou a decisão contra a Espanha para a prorrogação. O camisa 12 vibrou com a conquista, mesmo participando menos de 40 minutos, e não descartou a permanência na Seleção Brasileira. “Foi o maior privilégio, mesmo jogando pouco, achei que não estaria aqui, mas graças a Deus consegui ajudar meus companheiros a ganhar esse título, que era o mais importante”, celebrou Falcão em entrevista ao canal Sportv. “Me preocupei em ajudar todo o time e acho que consegui fazer isso”, acrescentou.

Falcão sofreu uma lesão logo na partida de estreia do Brasil e sua participação na Copa foi colocada em dúvida. O craque jogou pouco, cerca de 37 minutos, mas conseguiu ser decisivo mesmo com uma paralisia facial que o deixou “de cara torta”. “Eu joguei 37 minutos, não dá nem uma partida inteira. Fiz quatro gols e três foram totalmente decisivos”, destacou. “No dia primeiro achei que não jogaria mais e hoje estou aqui comemorando titulo totalmente realizado”, completou.
 
O camisa 12 não se recuperou da paralisia facial sofrida durante a competição, mas sequer se importou com a aparência. “Minha cara está toda torta, mas eu não estou nem aí para a vaidade, o importante é o título”.
 
Falcão atuou apenas 37 minutos, mas marcou quatro gols para o Brasil no Mundial (Foto: Associated Press)

Colunas

Contraponto