Brasil estreia na Copa América de Beach Soccer contra os EUA

Seleção Brasileira inicia luta pelo eneacampeonato às 16h30, na Praia do Gonzaga, em Santos.

Comentar
Compartilhar
17 JAN 201319h32

Em 1994, Júnior Negão estreava com a camisa amarelinha na vitória sobre os Estados Unidos por 4 a 2, no I Mundialito, nas areias de Copacabana, no Rio de Janeiro. Dezenove anos depois, Negão tem uma espécie de ‘segunda estreia’ com a camisa do Brasil. Desta vez, à beira da quadra, só que contra o mesmo adversário.

Ex-capitão da Seleção Brasileira, colecionador de títulos, Júnior Negão comanda o Brasil na tarde desta sexta-feira (18), a partir das 16h30min (horário de Brasília), na estreia da IX Copa América, diante dos EUA, na arena montada na Praia do Gonzaga, em Santos.

No retrospecto de confrontos, hegemonia verde-amarela: 32 jogos, com 30 vitórias brasileiras e duas dos americanos. No histórico da competição, que volta ao litoral paulista após 18 anos, o Brasil disputou 19 partidas e não sabe o que é derrota.

Contando com uma base experiente, com seis campeões da Copa do Mundo FIFA (Mão, Bueno, Buru, Daniel, André e Benjamin), e novos talentos, como o maranhense Datinha e cearense Anderson, o Brasil vai em busca do eneacampeonato do torneio, abrindo a ‘Era Júnior Negão’.

"Treinamos dez dias no Rio de Janeiro e todo mundo está com fome de bola. Temos um grupo muito forte, bem equilibrado, que sabe bem o que quer e vamos lutar por esse título. Este é um ano muito importante, é ano de Copa do Mundo, e queremos que o Brasil apresente um bom futebol, que volte a vencer e recupere o seu lugar de melhor do mundo. E vamos conseguir. Trabalho, vontade e comprometimento não vão faltar", afirmou o treinador, que falou ainda sobre sua estreia no banco de reservas. "É diferente, claro, mas estou tranquilo. Todo mundo está motivado, sabendo da responsabilidade que temos e que mudar essa situação só depende da gente. Estamos em casa, com a nossa torcida e vamos buscar uma vitória contra os Estados Unidos, para começar bem 2013.

A Seleção Brasileira treina para encarar os EUA nesta sexta-feira (Foto: Divulgação)

Quem reaparece com a camisa amarelinha é o defensor Daniel. Tricampeão da Copa do Mundo FIFA (2009/2008/2007), o carioca volta a defender o Brasil depois de um ano e meio longe das convocações. A última foi para as Eliminatórias Conmebol de 2011, em Copacabana, mas uma contusão na final diante da Argentina tirou o jogador do Mundial de Ravenna (Itália), naquele mesmo ano. Em 2012, Daniel não teve seu nome lembrado, mas veio 2013 e o defensor ganha uma nova chance. Oportunidade comemorada por Daniel.

"Fiquei muito feliz quando vi meu nome entre os convocados para os treinos no começo do ano. Ficar fora da última Copa do Mundo me deixou muito triste, me machuquei dias antes do embarque e foi graças à força da minha família, dos meus amigos e dos meus companheiros, que consegui superar aquele momento. Hoje, quero recuperar meu espaço, ajudar a Seleção Brasileira a comemorar títulos e poder brigar pela conquista de mais uma Copa do Mundo esse ano. Estou feliz e muito motivado", afirmou ele, campeão do II Mundialito de clubes em 2012, pelo Lokomotiv Moscou.