Blatter quer impedir barco de afundar: "Vamos trazê-lo de volta à costa"

Após semana de escândalo envolvendo cartolas do alto escalão do futebol, o mandatário quer impedir o barco de afundar

Comentar
Compartilhar
29 MAI 201515h04

Reeleito presidente para mandar na Fifa por mais quatro anos, Joseph Blatter promete tirar a entidade de toda a lama em que está afundada. Após semana de escândalo envolvendo cartolas do alto escalão do futebol, o mandatário quer impedir o barco de afundar.

“Agradeço a todos que me aceitaram nos próximos quatro anos. Estarei no comando deste barco chamado Fifa, vamos trazê-lo de volta à costa”, discursa Blatter ao receber 133 de 209 votos válidos no primeiro turno da eleição – ele ganhou após o opositor Ali Bin Al Hussein desistir de nova votação.

Cartola transito entre metáforas náuticas e apelo aos céus após reeleição na Fifa (Foto: Anja Niedringhaus/Associated Press/AE)

O cartola quer a ajuda de entidades para conseguir recolocar a entidade aos trilhos em seu quinto mandato. “Sou um homem religioso, e agora Deus, Alá ou o que quer em que acreditemos me ajudará a trazer a Fifa de volta. Prometo que a deixarei muito forte para meu sucessor”, assegura.

Blatter tinha se referido as denúncias de ilegalidades envolvendo a instituição já no discurso pré-eleição, e voltou a fazê-lo após a vitória. Deixou claro tentar reconquistar a confiança dos fãs de futebol em mais quatro anos, ainda que todo o problema tenha evoluído muito desde que foi eleito pela primeira vez, em 1998.

“Não sou perfeito. Ninguém é perfeito. Mas juntos nós estamos”, completa Blatter, empolgando-se ao estender sua permanência no cargo mais importante do futebol “Parabenizo a todos que votaram no príncipe Ali, ele é um bom candidato. Mas agora sou presidente de todos, sou o presidente da Fifa. Vamos Fifa! Vamos Fifa!”, finalizou, encerrando discurso para receber longa sequência de abraços.