Ausência de Cueva mostrou que o São Paulo não é só Hernanes

Sem o peruano, clube do Morumbi somou dois empates e uma derrota, freando ascensão que já empolgava a torcida

Comentar
Compartilhar
16 NOV 2017Por Folhapress14h31
O São Paulo não pôde contar com Christian Cueva por três jogos devido à participação do Peru na repescagem para a Copa do Mundo de 2018Foto: Ricardo Stuckert/CBF

O São Paulo não pôde contar com Christian Cueva por três jogos devido à participação do Peru na repescagem para a Copa do Mundo de 2018 -o país andino foi o último a se classificar para o Mundial na Rússia. No período, o clube do Morumbi somou dois empates e uma derrota, freando ascensão que já empolgava a torcida pelo sonho de uma vaga na Libertadores do próximo ano. A queda de rendimento no Campeonato Brasileiro retomou a desconfiança sobre o time e mostrou que, apesar do poder de decisão mostrado por Hernanes, o Profeta precisa da ajuda do camisa 10 para que um futebol melhor apareça.

"Já falei umas muitas vezes que ele e Hernanes são os jogadores diferentes, que decidem. Sem Cueva, Hernanes perde um pouco dessa conexão com o ataque", analisou o centroavante Lucas Pratto, após a derrota por 1 a 0 para o Grêmio na última quinta-feira.

O revés em Porto Alegre foi o quinto jogo em que Hernanes atuou sem Cueva. Antes disso, venceu o Cruzeiro por 3 a 2, perdeu para o Atlético-MG por 1 a 0 e empatou contra Chapecoense (2 a 2) e Vasco da Gama (1 a 1). O aproveitamento é de apenas 33,3%, com dois gols e uma assistência de Hernanes no período, tudo na vitória sobre o Cruzeiro no Morumbi.

Juntos, Cueva e Hernanes jogaram 14 vezes, com sete vitórias, três empates e quatro derrotas. Isso gera aproveitamento de 57,1%, inferior somente ao desempenho do líder Corinthians e do vice-líder Grêmio. Individualmente, os números apontam sete gols e duas assistências do Profeta, mais três gols e seis assistências do peruano. Nesses 14 jogos da dupla, o São Paulo marcou 23 gols, sendo 16 com participação direta dos astros do time.

Nessa série de três jogos sem Cueva, Hernanes não fez gols, nem deu assistências. O Profeta começou tendo Shaylon como parceiro contra a Chapecoense, mas o garoto pouco produziu. Contra o Vasco, o escolhido foi Maicosuel, que também teve atuação discreta no Rio de Janeiro. Ainda assim, o camisa 7 foi mantido para o embate com o Grêmio, mas durou somente até o intervalo.

Nas três partidas, Lucas Fernandes foi acionado no segundo tempo. E só o camisa 11 conseguiu ter participação efetiva -diante da Chape, foi um escanteio dele que encontrou cabeçada certeira de Arboleda para definir o 2 a 2. Até por isso, Lucas é o favorito para assumir a vaga de Hernanes, suspenso e desfalque pela primeira vez, para ser a dupla de Cueva contra o Botafogo neste domingo, às 17h, no Pacaembu.

O peruano entrou em campo na madrugada de quarta (15) para quinta-feira (16) pela seleção peruana, em jogo que definiu vaga de seu país na Copa do Mundo de 2018 contra a Nova Zelândia. O meia deu assistência para Farfán abrir o placar e ainda cobrou o escanteio que originou o segundo gol, de Ramos. O jogo de alta tensão, as longas viagens encaradas nos últimos dez dias, a festa histórica dos peruanos e o pouco tempo para treinar podem até atrapalhar, mas Cueva é aguardado ansiosamente pelos são-paulinos.