Atletas da Ponte adotam discurso otimista para obter feito 'histórico'

Para conquistar o título, que seria o primeiro de sua história, precisa pelo menos vencer neste domingo (7), no Itaquerão, por três gols de diferença

Comentar
Compartilhar
07 MAI 2017Por Folhapress11h30
Pontepretanos adotaram um discurso otimista durante a semana que antecedeu a partidaPontepretanos adotaram um discurso otimista durante a semana que antecedeu a partidaFoto: Divulgação

A situação da Ponte Preta após ser derrotada pelo Corinthians por 3 a 0, em casa, no jogo de ida da final do Campeonato Paulista, ficou muito complicada.

Para conquistar o título, que seria o primeiro de sua história, precisa pelo menos vencer neste domingo (7), no Itaquerão, por três gols de diferença, levando a decisão para os pênaltis. Se ganhar por quatro, ergue o troféu.

Apesar de reconhecer a dificuldade, os pontepretanos adotaram um discurso otimista durante a semana que antecedeu a partida.

"Não sabemos como será o resultado, mas vamos procurar fazer o melhor. O que favorece é que a Ponte quase não tem o que perder. Vamos lá tentar algo histórico", afirmou o goleiro Aranha.

Desde que a arena corintiana foi inaugurada, em 2014, o time disputou 99 jogos e nunca perdeu por mais de dois gols de diferença.

No entanto, William Pottker, atacante da Ponte e artilheiro do Paulista, projetou uma despedida triunfal do clube de Campinas. Após o Estadual ele irá se transferir para o Internacional.

"Se eu pudesse escolher [um último desejo], sem dúvida seria fazer quatro gols no domingo e ficar com o título. Mas é complicado. O Corinthians é um grande time, mas não é imbatível", disse.

A equipe que entrará em campo será revelada apenas momentos antes da decisão. Assim como nas quartas de final e na semi, o técnico Gilson Kleina faz mistério quanto à equipe titular.