Banner gripe

Atleta de São Vicente é destaque no longboard

Monique Pontes está em 4º lugar na classificação geral do Brasileiro. Em maio, disputa o Sul-Americano no Rio de Janeiro

Comentar
Compartilhar
29 ABR 2019Por Da Reportagem16h01
A atleta chegou de viagem da Austrália e partiu para a primeira etapa do Circuito BrasileiroFoto: Reprodução/Facebook

Do desinteresse ao sucesso no esporte! A atleta profissional de longboard Monique Pontes está mandando ver e representando São Vicente e a Baixada Santista no Brasil e pelo mundo. Aos 31 anos, ela sempre gostou de estar no mar, tanto que começou praticando canoagem. A mudança para o surfe aconteceu quando conheceu seu marido, surfista e amante da modalidade, João Renato.

“Eu não me interessava pela modalidade. Tudo começou em 2014, quando eu casei e nos mudamos de São Paulo para São Vicente. A escolha do longboard foi totalmente por influência do meu marido, que surfa este esporte. No início, não tentei nem pensei em surfar de ‘pranchinha’. Eu entrei no mundo do surfe no longboard”, conta, dizendo que o apoio de João é “fundamental” para o seu desempenho.

Para quem não conhece, no longboard, a prancha tem, em média, três metros de comprimento. Ou seja, oferece uma estabilidade maior do que aquelas usadas normalmente por atletas profissionais, como o bicampeão mundial Gabriel Medina, e faz com que a prática do esporte se torne ainda mais radical.

A paixão pelo esporte é tão grande que, no final do mês de março, a atleta chegou de viagem da Austrália e partiu para a primeira etapa do Circuito Brasileiro. A competição ocorreu em Jericoacora (CE).

Se a passagem pelo país dos cangurus não foi como ela esperava, já que ficou longe do pódio, no Ceará, a surfista trouxe para São Vicente os troféus de terceira (categoria Open feminino) e quarta colocacção (Profissional).

Além disso, Monique conseguiu a melhor nota do evento entre as mulheres: nove. “Estou muito feliz com os resultados e animada para os próximos campeonatos. Também fico contente em representar São Vicente, que me recebeu de braços abertos”, comenta.

De volta e com os troféus na bagagem, a surfista não pensa em descansar. Afinal, o calendário ainda prevê três etapas da World Surf League South America, duas internacionais de acesso ao mundial e duas do circuito brasileiro.

Para confirmar a boa fase, o início de ano marcou sua estreia nas telinhas. Ao lado de outras atletas referências do esporte, a surfista estreou o programa Serenas, no canal por assinatura Woohoo.

“Eu recebi o convite de um diretor que conheceu minha história no surfe e o que era para ser um documentário para o cinema, se tornou uma série no canal. A oportunidade surgiu depois que eu participei do World Surf League no Peru e fiquei com a quarta colocação no Sul-Americano”, explica.

Preparação

A atleta precisa se dedicar 100% para mandar bem nas competições. Como está há pouco tempo no longboard, ela diz que é necessário correr atrás do prejuízo, já que muitas atletas com quem ela disputa estão desde a infância na modalidade.

A surfista se dedica com treinos árduos dentro mar. A preparação física é essencial. Monique pratica exercícios para evitar lesões e natação para ajudar com o desenvolvimento no esporte e, principalmente, melhorar sua respiração. Além disso, possui um treinador específico da modalidade e uma psicóloga esportiva.

Resultados

Em seu currículo, a esportista também registra a quarta colocação no Brasileiro de 2017. Em 2018, ela ficou em 6º lugar no geral pelo circuito Brasileiro de Longboard.

Na competição nacional deste ano, a atleta está em 4º lugar na classificação geral e aguarda as próximas etapas, para buscar o título.

Monique não para! Em maio, ela vai disputar o Sul-Americano, que acontece nos dias 10,11 e 12, no Rio de Janeiro.

Colunas

Contraponto