Artilheiro do Santos, Sasha celebra momento após "paciência" para entrar no time

Ao balançar as redes contra o Ceará na quinta (17), o atacante chegou a 10 gols marcados no Brasileirão

Comentar
Compartilhar
18 OUT 2019Por Estadão Conteúdo20h00
Ao balançar as redes contra o Ceará, o atacante chegou a 10 gols marcados no BrasileirãoFoto: Ivan Storti/Santos FC

Artilheiro do Santos no Campeonato Brasileiro, Eduardo Sasha passou a contabilizar dez gols na competição ao balançar as redes na vitória por 2 a 1 sobre o Ceará, na noite da última quinta-feira (17), na Vila Belmiro, que manteve a esperança do clube de seguir sonhando com a almejada conquista do título nacional.

Nesta sexta (18), o atacante deu entrevista coletiva no CT Rei Pelé e celebrou a boa fase que atravessa no clube, assim como lembrou que precisou ter "paciência" e trabalhar muito para convencer o técnico Jorge Sampaoli de que merecia entrar no time titular comandado pelo argentino, que chegou a deixar o jogador fora dos seus planos no primeiro semestre deste ano.

"Feliz pelo momento e pelo ano que estou fazendo, estou muito feliz por isso. E estou colhendo o que eu plantei lá no início do ano, que foi trabalho, paciência e também sabedoria, pois tive de saber a hora de esperar uma oportunidade", afirmou o atleta, cujas experiências acumuladas por vários anos com a camisa do Internacional, clube que o formou como jogador, também colaboraram para que ele tivesse perseverança com a camisa alvinegra.

"Em anos que se passaram eu tive momentos de alta e baixa, coisas que o futebol proporciona. E eu soube sair de outros momentos difíceis e, sabendo como é o futebol, eu tive paciência e sabia que uma hora as coisas iriam acontecer, por já ter passado por isso também. Então eu tive paciência e continuei trabalhando na minha, quieto, mesmo sabendo que naquele momento (no início deste ano) eu não iria jogar. Mas eu estava pensando mais lá na frente porque eu sabia que a oportunidade iria aparecer e eu seria útil", destacou Sasha.

Já ao ser questionado sobre como conseguiu ganhar a confiança de Sampaoli e se firmar na equipe santista, o atacante ressaltou: "Fui o conquistando aos poucos nos treinamentos, eu prestava atenção na forma como ele gostava que os jogadores se portassem dentro de campo. Isso me fez perceber e talvez mudar um pouco o meu jeito de jogar e me adaptar o mais rápido possível. E assim ele pôde me enxergar e ver ali que eu vinha em uma crescente para daqui a pouco me dar uma oportunidade. E foi isso o que aconteceu".

Com o triunfo sobre o Ceará, o Santos voltou a reduzir para dez pontos a larga vantagem do líder Flamengo no Brasileirão e também ficou novamente a dois de distância do Palmeiras, segundo colocado. E Sasha disse nesta sexta-feira que, independentemente do que a equipe alvinegra conquistar até fim do torneio, que o desempenho do time precisa ser reconhecido. Com 51 pontos, o time santista já superou a pontuação que somou ao longo de toda a sua campanha na edição de 2018 da competição, na qual terminou apenas em décimo lugar, com 50.

"A gente tem que valorizar a campanha que estamos fazendo neste ano, independentemente se a gente venha a conseguir ou não buscar o título. É planejamento, chegou um treinador com um método diferente de jogar. Muitas vezes no futebol as coisas deixam de acontecer porque não se tem planejamento, não vêm os resultados e o treinador já é mandado embora. Isso acaba atrapalhando um pouco. Temos um mesmo treinador desde o início do ano e isso ajuda bastante", opinou Sasha, que também projetou um futuro de sucesso para o Santos em 2020.

"O futebol é planejamento, e tenho certeza de que, se a gente continuar do que jeito que está, manter a base e fazer algumas contratações pontuais, no ano que vem a gente tem tudo para conquistar muitas coisas", previu o atleta, que nesta sexta pela manhã treinou com o elenco alvinegro visando o duelo diante do Atlético-MG, domingo (20), às 16 horas, no estádio Independência, em Belo Horizonte, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro.