Arouca é expulso, mas Verdão goleia na Bahia e elimina jogo de volta

O Verdão volta a entrar em campo no sábado, às 18h30 (de Brasília), recebendo o Bragantino no Palestra Itália, pelo Campeonato Paulista

Comentar
Compartilhar
05 MAR 201500h03

Em seu segundo jogo no Palmeiras, Arouca foi expulso ao dar um carrinho com os dois pés na perna de um adversário, mas o time mostrou superação com um a menos. Superou um gramado em péssimas condições e venceu o Vitória da Conquista por 4 a 1, classificando-se para a segunda fase da Copa do Brasil sem a necessidade do jogo de volta.

Nesta quarta-feira, o Verdão, quando tinha 11 em campo, foi parado pelo ânimo e o campo do Vitória da Conquista, mas foi para o intervalo vencendo por 1 a 0 graças a pênalti sofrido por Dudu que Cristaldo converteu, aos 13. No segundo tempo, Tatu empatou aos 18, mas Allione recolocou os paulistas à frente aos 20.

Aos 28, entrada criminosa de Arouca em Mateus Leoni rendeu o vermelho direto, mas Robinho teve precisão para fazer 3 a 1 aos 34 e Dudu sentenciou a vaga, aos 38. O Palmeiras espera pela definição de seu adversário na segunda fase – o Estrela do Norte, do Espírito Santos, ganhou o primeiro jogo por 3 a 2 do Sampaio Corrêa e a volta será no dia 1º de abril, no Maranhão.

O Verdão volta a entrar em campo no sábado, às 18h30 (de Brasília), recebendo o Bragantino no Palestra Itália, pelo Campeonato Paulista. Já o Vitória da Conquista, dono da melhor campanha do Campeonato Baiano, visita o Colo Colo pelo Estadual às 16 horas de domingo.

Cristaldo marcou na vitória do Verdão (Foto: Eliezer Oliveira/Futura Press)

O jogo

O Palmeiras sabia que enfrentaria um campo desgastado como obstáculo para tocar a bola, mas não mudou sua estratégia, posicionando três homens para municiar Cristaldo, com liberdade para os laterais. Esquema simples e anulado pela vontade dos donos da casa.

O gramado atrapalhava o Vitória da Conquista, mas o Bode, como o time é conhecido, está mais acostumado e tinha jogadores cientes da oportunidade de aparecer diante de um rival famoso. Cada atleta do Verdão, que jogou de azul, era perseguido por ao menos dois adversários.

O ânimo era tanto que o Palmeiras mal ficava com a bola,. O principal armador do jogo era Paulo Almeida, volante com passagens por Seleção Brasileira e Benfica e bicampeão brasileiro pelo Santos. O veterano era o primeiro a ser procurado pelo time baiano, que entrou em campo reforçando a marcação dos lados para bloquear a velocidade dos paulistas.

Até que Dudu foi mais rápido que Fernando Belém e o zagueiro se jogou no atacante dentro da área para pará-lo. Pênalti que, apesar da catimba do goleiro colombiano Viáfara, Cristaldo bateu firme, com força no canto direito, abrindo o placar aos 13 minutos, na primeira chance dos visitantes na partida.

O gol não mudou o panorama do jogo, marcado por uma equipe anfitriã que sabia dominar melhor a bola no péssimo gramado de Vitória da Conquista, mas sem qualidade para usar esse trunfo como caminho para o gol. O Verdão, por sua vez, não tinha válvula de escape porque João Paulo nem se arriscava a subir pela esquerda, talvez por falta de confiança, e Lucas não acertava quase nada do outro lado.

De tanto ficar com a bola, o clube baiano quase empatou no fim do primeiro tempo, e o Palmeiras foi para o intervalo agradecendo a Fernando Prass. O goleiro executou grandes defesas aos 41 e aos 42 em chute de Rafamar e cabeçada de Fernando Belém, respectivamente.

Para o segundo tempo, o Bode voltou mais solto, apostando na entrada de Tatu para ir à frente e deixando espaço na defesa para o Palmeiras trabalhar a bola. Os comandados de Oswaldo de Oliveira frequentaram mais o campo adversário e Arouca quase marcou em chute de fora da área com 20 segundos de etapa final, mas a equipe se tranquilizou demais.

Marcando à distância, a defesa toda parou para ver Carlinhos entrar sem ser incomodado na grande área, levantar a cabeça e encontrar Tatu completamente livre para bater no contrapé de Fernando Prass, empatando a partida aos 18 minutos. Já na saída de bola, Oswaldo deu nova vida ao ataque trocando o cansado Cristaldo por Leandro Pereira.

E foi outro argentino que decidiu. Já aos 20, a resposta palmeirense apareceu com rapidez quando Robinho abriu espaço pela direita e cruzou rasteiro para Allione escorar de pé direito nas redes, recolocando o Verdão à frente e injetando ânimo na equipe para buscar mais um gol e eliminar o jogo de volta.

Aos 28, porém, Arouca quase estragou tudo: deu um carrinho com os dois pés na perna de Mateus Leoni e foi expulso direto. Com um a menos, o Verdão tentou diminuir o ritmo, e acabou ampliando assim. Novamente decisivo, Robinho dominou na grande área e, mesmo com muitos adversários à frente, bateu com precisão no canto direito de Viáfara para fazer 3 a 1aos 34.

Oswaldo de Oliveira gritava para que o time se acalmassem, mas houve tempo para sentenciar a classificação sem sofrer. Aos 38, Leandro Pereira dividiu na grande área e a bola sobrou para Dudu, na cara de Viáfara, finalizar furando a rede. O Vitória da Conquista não conhecerá o Palestra Itália.