Banner gripe

Após reunião com elenco, presidente do Santos volta atrás mantém Levir Culpi no cargo

Jogadores foram cobrados pelo presidente por maior empenho e ficou definido que o treinador fica na equipe até o final da temporada

Comentar
Compartilhar
20 OUT 2017Por Folhapress17h09
Levir Culpi permanecerá no comando do Santos até o fim do campeonatoFoto: Divulgação/Santos FC

Após reunião que definiu a demissão do técnico Levir Culpi, o presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, se reuniu com os atletas e atendeu ao pedido deles para que treinador permaneça no clube. Os jogadores foram cobrados pelo presidente por maior empenho.

"Foi uma conversa pelo bem do Santos, não pelo bem de uma pessoa. A cobrança existe sempre, mas houve o compromisso dos atletas [em melhorar no Campeonato Brasileiro]", disse à reportagem o presidente do clube.

Na reunião, os jogadores mais experientes, como Ricardo Oliveira e David Braz, falaram e disseram que o time está dando o máximo em campo e que a classificação para a Libertadores de 2018 é um objetivo que será alcançado. Também deram palavras de apoio para o treinador.

O discurso tranquilizou o presidente, embora aliados dele Júnior defendessem a ideia de que a melhor opção era colocar Elano no comando do time até o final da temporada. Após o reunião e conscientes de que estavam no campo de visão dos jornalistas, abraçaram Levir Culpi. Em 29 partidas do técnico no comando da equipe, o time obteve 13 vitórias, 12 empates e 4 derrotas. O aproveitamento é de 59% dos pontos disputados.

Após o empate em 1 a 1 com o Sport, no Recife, nesta quinta (19), a equipe está pressionada. Os muros da Vila Belmiro foram pichados com frases como "Queremos time vencedor" e "Fora Lucas Lima". O meia foi um dos alvos da torcida organizada na chegada da delegação em São Paulo.

Lucas Lima, que teve atuações ruins nas últimas duas rodadas, contra Sport e Atlético-GO, teve de ser escoltado por seguranças para o ônibus na saída do Aeroporto de Congonhas nesta sexta. Ele fica sem contrato no final do ano e tem proposta do Palmeiras. A negociação com o presidente Mauricio Galiotte é conduzida por um empresário ligado ao pai de Neymar.

O lateral Zeca, que fez postagem no Instagram insinuando um gesto obsceno para os críticos, e o atacante Kayke, que perdeu uma grande chance nos minutos finais da partida diante do Sport, também receberam pressão dos torcedores.

"Acho que os protestos são democráticos. É legítimo", disse Modesto Roma Júnior, que também foi um dos alvos das pichações.

Com o empate, o Santos caiu para a quarta posição, com 50 pontos. Está a nove do líder Corinthians. Se tivesse vencido Vitória e Sport, ficaria a cinco pontos da primeira posição.

Até a eliminação nas quartas de final da Libertadores para o Barcelona (EQU), em 20 de setembro, o estilo descontraído de Levir (contratado no início de junho) de dar declarações engraçadas, deixar os jogadores disputarem rachões nos treinos e oferecer folgas de até dois dias após o jogos, era visto mesmo na diretoria como positivo, já que ele teoricamente entenderia a cabeça dos atletas.

A partir da queda no torneio sul-americano, as críticas começaram a aparecer pelos mesmos motivos que o faziam ser elogiado.

Levir é vítima também da queda de rendimento de alguns dos seus principais jogadores. No domingo (22), na Vila Belmiro, o Santos recebe o Atlético-GO.

Colunas

Contraponto