Após pedido de Dorival, Lucas Lima quer virar ‘artilheiro’ em 2017

O treinador quer o camisa 10 atuando mais próxima da área adversária. Ele assimilou o pedido e deseja marcar mais gols neste ano. Em 2016, foram cinco tentos

Comentar
Compartilhar
31 JAN 2017Por Diário do Litoral15h41
O meia Lucas Lima deve mudar a sua forma de atuar nesta temporadaFoto: Ivan Storti/Santos FC

O meia Lucas Lima deve mudar a sua forma de atuar nesta temporada. O técnico Dorival Júnior entende que o camisa 10, principal armador do Santos, pode ser ainda mais essencial à equipe se atuar mais próximo da pequena área adversária. No último ano foi possível observar que o jogador, por diversas vezes, iniciava as jogadas na linha defensiva, distanciando-se do ataque.

Agora, porém, a tendência é que ele jogue mais próximo aos atacantes. No amistoso contra o Kenitra, do Marrocos, no último sábado, Lucas Lima concentrou-se na linha ofensiva e pôde contribuir nos dois gols marcados por Vitor Bueno. Em uma dessas oportunidades, ele recebeu passe de na pequena área e chutou cruzado. No rebote, Bueno concluiu para as redes.

“Me cobro para finalizar, fazer mais gols. Tenho mania de voltar, é característica, mas quero chutar e fazer mais gols. Dorival me cobra, diz que sou mais perigoso lá. Cada jogo é uma situação, às vezes é preciso voltar. Tenho que ter paciência de pegar bola mais perto da área. Quanto mais perto, mais chance de finalizar e fazer gols”, disse, em entrevista coletiva.

No último ano, Lucas Lima chegou às redes em cinco oportunidades. Foram dois gols pelo Brasileirão, um na Copa do Brasil e outros dois no Campeonato Paulista. Em contrapartida, ele foi o principal nome do clube no quesito assistência no último. Ao todo, foram 10 passes para o gol. No campeonato nacional, porém, Vitor Bueno foi destaque, com seis assistências.

Além de buscar a fase artilheira, o jogador espera reencontrar o seu melhor futebol. No último semestre de 2016, ele foi criticado por parte da torcida, fruto de maus desempenhos no Brasileirão.

“Não joguei todos bem e nem todos mal. Algumas lesões me atrapalharam. Um ano de muita dor. Mas não preciso ficar falando. Sempre quis ajudar. Quero ajudar o clube em busca de uma grande conquista e para isso preciso trabalhar tranquilo, focado.