Após desabafo de agente, Pablo se tranquiliza com conversa para ficar

O principal entrave para o Corinthians manter Pablo além de dezembro, contudo, não é o zagueiro ou o seu agente

Comentar
Compartilhar
13 MAI 2017Por Gazeta Press16h30
Pablo tem fé em sua permanência, mas Corinthians tem poucos recursos para investirPablo tem fé em sua permanência, mas Corinthians tem poucos recursos para investirFoto: Djalma Vassão/Gazeta Press

O zagueiro Pablo foi procurado pela diretoria do Corinthians para falar sobre o seu futuro, nesta sexta-feira, exatamente um dia após um desabafo público do seu agente. O empresário Fernando César chegou a dar um prazo de 20 dias para o clube resolver a situação do seu cliente, emprestado pelo francês Bordeaux até o final do ano e com valor de venda estipulado em € 3 milhões (mais de R$ 10 milhões).

“Agora, estamos no caminho certo. Começamos a conversar, que é o principal, hoje. Era algo que estava incomodando, porque o contato só havia sido feito com o Bordeaux”, comentou Pablo, com um sorriso sem jeito, dando autoridade para Fernando César desabafar em seu nome. “Ele me representa. As negociações sempre serão com ele. Pensamos juntos. Tudo o que for falado por ele é em conjunto comigo”, respaldou.

O principal entrave para o Corinthians manter Pablo além de dezembro, contudo, não é o zagueiro ou o seu agente. Em crise financeira, o clube terá dificuldades para reunir a quantia desejada pelo Bordeaux – está sendo cobrado pelo Coritiba, por exemplo, por ainda não ter quitado uma dívida referente à compra do centroavante inglês naturalizado turco Kazim bem inferior aos R$ 10 milhões que precisará desembolsar agora.

“A chance de eu ficar? De 0% a 100%? Não sei. Se o Corinthians me comprar, é de 100%. Depende do Corinthians. É o clube que tem que exercer a opção de compra. O único desentendimento que tivemos foi por eles estarem conversando só com o Bordeaux, e não com a gente”, comentou.

Em entrevista ao Uol, Fernando César avisou que há interesse de outros clubes brasileiros, como Atlético-MG e Palmeiras, na contração de Pablo. O jogador pretende seguir no País para se aproximar de uma convocação para a Seleção. “Todo atleta deve pensar grande. Se eu estiver aqui e atuando em um bom nível, as chances de ser chamado são maiores”, raciocinou.

Pablo, porém, prefere estar a serviço do Corinthians ao ser lembrado pelo técnico Tite. Antes um desconhecido para muitos torcedores, ele se firmou rapidamente ao lado do paraguaio Fabián Balbuena, com quem foi campeão paulista. “Tenho que ser o mesmo Pablo de sempre, sem mudar nada. Consegui me destacar assim. E não adianta ter feito grandes jogos se agora, no momento em que estamos decidindo muitas coisas, eu der uma caída”, conscientizou-se.