Adauto dá respaldo a Carille e explica “Caso Pottker”

Sem uma comunicação direta com a Ponte Preta, dona do passe do jogador, o impasse sobre a sua escalação na Copa do Brasil e Copa Sul-Americana foi criado

Comentar
Compartilhar
14 FEV 2017Por Gazeta Press21h30
Diretor corintiano garante que Carille está no caminho certoDiretor corintiano garante que Carille está no caminho certoFoto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

O Corinthians inicia 2017 buscando uma reconstrução. Em meio a negociações polêmicas e o início de trabalho do treinador Fábio Carille, o diretor de futebol Flávio Adauto deu explicações sobre o momento que vive o alvinegro, dando mais detalhes sobre a desistência na contratação do atacante William Pottker, da Ponte Preta, e respaldando o trabalho do comandante da equipe.

“Hoje em dia é diferente. Você não fala com jogador ou com clube, só fala com agente”, declarou Adauto em entrevista para a emissora Band Sports, esclarecendo que todo o acordo com Pottker havia sido feito por intermédio de seu empresário.  

Sem uma comunicação direta com a Ponte Preta, dona do passe do jogador, o impasse sobre a sua escalação na Copa do Brasil e Copa Sul-Americana foi criado. O Corinthians chegou a informar o agente que desistiria do negócio se Pottker atuasse em algum dos torneios, mas a ameaça não adiantou.

“Nosso departamento vetou (a contratação). Nós deixamos claro que se ele atuasse, o Corinthians já não teria interesse. Ele jogou o Paulista, e com isso estávamos de acordo. Então veio a Copa do Brasil. Ficamos até o ultimo momento conversando com representante do jogador, não conversamos com a Ponte em assunto algum”, acrescentou o dirigente.

Adauto ainda garantiu que a diretoria do clube confia no trabalho de Fábio Carille, e que o técnico possui um ambiente favorável para trabalhar e fazer com que seu conhecimento seja traduzido em resultados para o Timão dentro de campo.

“Ele tem conhecimentos técnicos, táticos, trabalhou com grandes treinadores e está mostrando no dia-a-dia que tem o comando da situação, respeito dos jogadores e confiança da diretoria”, pontuou.