Governo de SP manterá protocolo e volta às aulas presenciais é marcada para setembro

Plano de retomada das aulas em 8 de setembro está mantido pelo governo de São Paulo

Comentar
Compartilhar
17 JUL 2020Por Gazeta de S. Paulo14h00
Da creche ao ensino superior, há 13 milhões de estudantes no Estado, ou 32% da população paulistaFoto: Wilson Dias/Agência Brasil

O secretário estadual da Educação de São Paulo, Rossieli Soares, afirmou em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira que não há expectativa de mudança do governo estadual no plano de retomada das aulas presenciais no estado de São Paulo. “Os protocolos para educação estão mantidos”, disse.

No dia anterior, o coordenador do centro de contingência contra o coronavírus do governo de São Paulo, o médico João Gabbardo, havia sido questionado sobre uma projeção que estima até 17 mil mortes entre crianças com a retomada das aulas presenciais no Brasil, e disse que o governo poderia fazer uma reavaliação daquilo que já foi definido.

Soares afirmou nesta sexta-feira que o estudo foi feito com base nos dados atuais, e não com os dados da eventual retomada das aulas em setembro. “Se hoje fosse 8 de setembro, com as condições de hoje, nós não voltaríamos [com as aulas]”, disse.

“Muitas pessoas estão falando da data, mas muito mais importante do que a data é termos as condições obrigatórias sendo cumpridas. Ou seja, só voltaremos em 8 de setembro se as condicionalidades determinadas pelo comitê de contingência forem cumpridas”, afirmou.

De acordo com anúncio do governador João Doria (PSDB), o retorno das aulas  será feito de forma conjunta para todas as cidades paulistas, considerando que, em 8 de setembro, os municípios estejam na fase amarela de flexibilização da economia há pelo menos 28 dias. 

Da creche ao ensino superior, há 13 milhões de estudantes no Estado, ou 32% da população paulista.