Em Guarujá, mães participam e interagem nas aulas dos filhos

Na Escola Angelina Daige, por exemplo, o professor Dorival Delgado percebeu maior interação das mães durante suas aulas remotas

Comentar
Compartilhar
09 MAI 2021Por Da Reportagem14h08
As mães de alguns dos seus alunos estão participando das aulas, ao lado dos filhosAs mães de alguns dos seus alunos estão participando das aulas, ao lado dos filhosFoto: DIVULGAÇÃO/PMG

As aulas remotas conduzidas pelo professor da rede municipal de ensino de Guarujá, Dorival Amorim Delgado, ganharam um reforço e tanto. É que as mães de alguns dos seus alunos estão participando das aulas, ao lado dos filhos. Em função da pandemia do novo coronavírus que suspendeu as aulas presenciais, a rede municipal prossegue com o Projeto de Ensino Remoto.

O educador, 55 anos, pertence à Escola Municipal Angelina Daige (Vila Áurea). “Fui percebendo que durante as aulas não estávamos sozinhos. Havia sempre uma presença com os alunos. Depois comecei a ver que os responsáveis davam uma “cola” (risos) aos alunos. Aos poucos, as mães começaram a aparecer na aula lado a lado pra tirar dúvidas dos filhos e até delas mesmas”, enfatizou.

Marileide Mariano é uma dessas mães. Ela frisa que, neste momento difícil, a dedicação e o papel do professor têm sido essenciais na aprendizagem dos filhos. “Participar das aulas me faz aprender junto também. Ela se sente mais segura comig e, por eu estar desempregada, tenho mais tempo para ela, o que fez com que tivéssemos também mais diálogo por conta das tarefas”, conta a mãe da aluna Isabelly Mariano Mota, 10 anos.

Jacqueline dos Reis Melo é professora e mãe do aluno da Unidade, Enzo Gustavo Melo do Carmo, 9 anos. Na maioria das vezes, ela estuda junto com o filho. “Fico ouvindo, entendendo o conteúdo que o professor Dorival está passando”. Jacqueline destaca ainda os benefícios do ensino remoto, que faz com que a participação dos pais seja contínua e efetiva. “Resgata os laços afetivos, e também o hábito de estudar em casa, que ficou muito mais evidente com a pandemia”.

Dorival identificou ainda que a maioria dos seus alunos estuda na cozinha. “É onde as mães geralmente estão. Entre uma ida e outra ao fogão, ou na geladeira, elas passam e dão uma olhada para a aula remota, e dependendo do assunto param o que estão fazendo para auxiliar os filhos”, explica.

Com 34 anos atuando na rede municipal, o professor dá aulas aos estudantes de ensino fundamental I, nas disciplinas de matemática, história, geografia, ciências e português. No momento, possui um total de 33 alunos. Ele lembra que começar a utilizar a tecnologia não foi tão simples. “Acredito que a relação aluno/professor tem que ser olho no olho, e depois de muita relutância, enfim aderi à plataforma Zoom, que diminuiu a distância com meus alunos”.

Na primeira aula remota com essa ferramenta, Dorival tinha apenas 20% de participação dos alunos. Hoje, ele garante que essa adesão subiu para 80%. Ele destaca ainda a plataforma digital Conecte Educação, adquirida pela Secretaria de Educação (Seduc), que deverá em breve estar em pleno funcionamento na rede municipal. “Essa é mais forma de nos ajudar, ao qual ainda estou assimilando. Ainda bem que também posso contar com a equipe da Escola, pois quando tenho alguma dúvida, todos estão sempre prontos a me atenderem, e o mesmo apoio é dado aos alunos”.