Alunos do Guarujá leram mais de 150 livros com Projeto de Literatura

O “Florescer na Leitura” foi trabalhado durante o ano com os estudantes do 4º ano da escola Herbert Henry Dow

Comentar
Compartilhar
13 DEZ 201316h27

“Quem imaginaria que as nossas palavras nos levariam para essa viagem?”, disse a aluna do 4º ano, Giovana Lopes de Oliveira, de 10 anos, na apresentação final do projeto da Prefeitura de Guarujá: “Florescer na Leitura”. O evento aconteceu na última segunda-feira (9). A iniciativa é realizada na Escola Municipal Herbert Henry Dow, por meio da Secretaria de Educação de Guarujá, e desenvolvido com 27 crianças, que leram 155 diferentes livros.

O projeto é desenvolvido pela professora Nilcéia Oliveira Fontes Morone dos Santos, no 4º ano da escola, que fica na Rua Uruguai, 950, Balneário Cidade Atlântica, na Enseada. As atividades aconteciam semanalmente. Cada aluno escolhia um título para ler naquela semana e após o término da leitura, eles apresentavam suas opiniões para os colegas e faziam rodas de conversas.

Ela comentou como foi gratificante realizar esse trabalho. “Superou as minhas expectativas. Eles tiveram o interesse despertado”. A educadora falou sobre a interação dos alunos. “Não houve competição, a leitura foi feita por gosto. A única disputa era pelos títulos, que conquistaram diversos fãs na classe”

O gosto pela literatura trouxe bons resultados a performance do aluno na escola. (FOTO: Divulgação/PMG)

“A literatura é a arte de descobrir lugares, pessoas e mundos” foi outra fala de Giovana na apresentação infantil e esse foi um dos motivos pelo qual as crianças abraçaram o projeto, como afirma a diretora da unidade, Andrea Mariano. “Foi um ganho. Esta é uma turma interessada e contou com uma professora incrível que não deixou o pedagógico de lado para dar continuidade ao projeto”.

O casal Magno Francisco Santos da Silva e Josilene da Silva Ferreira, pais de João Pedro, notaram que o aluno teve mais disposição para ler. “Agora ele entra nas histórias e interage com elas, até nos incentiva a ler para poder conversar sobre o livro”, comenta o pai.

O gosto pela literatura trouxe bons resultados a performance do aluno na escola. “Ele melhorou na produção de texto e não tem mais aquela preguiça para fazer as lições. Agora tem gosto por fazer as atividades”, comenta Josilene.

A mãe de Fabiana Costa, Corina de Souza Costa, comenta que a filha não pode ver uma revista parada que ela já pega para ler. “Ela se interessou bastante”

A professora Nilcéia buscou despertar esse gosto e prazer pela literatura. “Durante o ano, os alunos fizeram troca de livros, estudaram diferentes tipos e gêneros de literatura. O resultado pode ser conferido no livro com uma poesia de cada um, feito como finalização desse ciclo”, completa.

As atividades valeram a pena, como comenta a estudante Lívia Pietra Sossai Sanches. “A gente lê mais e escreve melhor, e é um vício bom. Queremos ler cada vez mais”. O projeto instiga a criatividade e nos abre um mundo de possibilidades. “Eu acho que todas as crianças deveriam passar por esse projeto, porque nos ajuda muito”.

E o trabalho não é só em casa. O aluno Gabriel Nogueira de Abreu revela que também lê até aos finais de semana. “Já perdi as contas de quantos livros li. Quando é interessante, eu começo a ler”. Segundo a coordenadora das Orientadoras Educacionais da Seduc, Ivna Diogo, quanto mais as crianças são estimuladas, mais elas aprendem. “Elas gostam, se envolvem, e tudo o que o professor faz para incentivar traz benefícios para a educação deles”.

Na avaliação da secretária de Educação do Município, Priscilla Bonini, a leitura é importante para formação do aluno e a rede municipal incentiva o hábito. “A iniciativa permite ainda que os alunos possam aprimorar o desempenho na produção de texto e na leitura”.