Vendas a prazo no comércio caem pela terceira vez consecutiva

Para a CNDL, queda do consumo é resultado da baixa atividade econômica como um todo, impactada pelo aumento dos juros e pela alta dos preços

Comentar
Compartilhar
05 JUN 201412h41

O indicador de vendas a prazo no comércio, calculado pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), repetiu o comportamento de baixa verificado nos últimos dois meses e recuou -2,08% no mês de maio, em relação ao mesmo período do ano passado.

O resultado obtido em maio representa a terceira queda consecutiva do indicador de vendas, o que segundo os dirigentes da CNDL, reforça a tendência de enfraquecimento da atividade econômica. "O consumo e o comércio dão claros sinais de perda de fôlego. Houve uma queda generalizada entre os principais indicadores de confiança da economia, que atualmente é negativamente impactada pelo aumento dos juros, pela aceleração da inflação e pelo crescimento moderado da massa salarial", disse o presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Junior.


O indicador de vendas a prazo no comércio repetiu o comportamento de baixa verificado nos últimos dois meses (Foto: Matheus Tagé/DL)

Comparação mensal

Em relação a abril deste ano, as vendas parceladas em maio cresceram 4,07%. Segundo os dirigentes da CNDL, o resultado é típico do período, em função da comemoração do Dia das Mães no mês de maio. "O Dia das Mães representa a segunda maior festa para o comércio, perdendo apenas para o Natal. Daí é natural que as vendas cresçam em maio em relação a abril", disse Pellizzaro Junior.

O fraco resultado das vendas a prazo também se repetiu no consolidado do ano. No acumulado dos quatro primeiros meses, frente a igual período de 2013, as vendas parceladas somam uma queda de -1,33%. "Projetávamos um crescimento de 3% para as vendas a prazo em 2014. Infelizmente o cenário econômico não corresponde com nossas expectativas e em breve iremos anunciar uma redução para essa projeção", disse Pellizzaro Junior.