Sonegômetro alcança R$ 400 bilhões

Ferramenta desenvolvida pelos Procuradores da Fazenda Nacional mostra a sonegação fiscal em tempo real. Brasil deve deixar de arrecadar R$ 415 bilhões até o fim do ano

Comentar
Compartilhar
18 DEZ 201321h23

Nesta quarta-feira (18), o placar online da sonegação fiscal no Brasil alcançou a casa dos R$ 400 bilhões. Desenvolvido pelo Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz), o “Sonegômetro” apresenta em tempo real o quanto o país deixa de arrecadar todos os dias, por meio do endereço eletrônico www.sonegometro.com.

O “Sonegômetro” tem como intuito mobilizar e esclarecer a sociedade sobre os impactos da sonegação fiscal no Brasil. Para chegar ao contador, o Sindicato realizou um estudo que estabelece indicadores para a evasão fiscal. A ação faz parte da Campanha Nacional da Justiça Fiscal “Quanto custa o Brasil pra você?”, criada pela entidade em 2009. “Mais do que o tamanho do prejuízo, nossa intenção é chamar a atenção da população para a relação direta entre sonegação fiscal e corrupção”, aponta o presidente do Sindicato, Heráclio Camargo.

O Sinprofaz representa a carreira de Procurador da Fazenda Nacional que é o agente capaz de garantir a isonomia entre o devedor e o cidadão que paga seus tributos, por meio da cobrança dos créditos da União.  “Graças ao trabalho dos Procuradores da Fazenda Nacional foi possível arrecadar mais de R$ 60 bilhões, nos últimos três anos. Esse número poderia ainda maior se a carreira contasse com mais profissionais e melhores condições de trabalho”, destaca Titonelli. “Quando mais pessoas contribuem, temos uma maior disponibilidade de caixa para a execução de políticas públicas. Ao mesmo tempo é necessário que se cobre mais eficiência do Estado na utilização dessas verbas”, Camargo.

O placar online da sonegação fiscal no Brasil alcançou a casa dos R$ 400 bilhões