Sindicato lamenta volta à Zona Amarela e denuncia o comércio ilegal por aglomerações

A nota ainda encerra afirmando que o comércio lojista está fragilizado neste momento e as empresas que sobreviveram até agora correm o risco de fechar

Comentar
Compartilhar
01 DEZ 2020Por Da Reportagem17h45
Sindicato afirma que lojistas regularizados são os mais afetados por medidas do GovernoFoto: AGÊNCIA BRASIL

A Diretoria do Sindilojas-SP lamentou o retorno das medidas restritivas impostas novamente ao comércio da Capital e do restante do Estado de São Paulo. Em nota divulgada por seu portal oficial, o sindicato explicou que estão todos engajados no combate à pandemia e na orientação aos comerciantes e clientes no cumprimento das regras sanitárias.

A equipe da instituição afirma ainda que, desde o início da liberação de suas atividades, o comércio lojista investiu recursos na compra de materiais sanitários, de proteção e prevenção contra a Covid-19, além de seguir cumprindo os protocolos assinados pelo Sindilojas-SP, que estabelece as condições de atendimento e orientação ao público e clientes.

"Entendemos que medidas precisam ser tomadas para evitar aglomerações. Porém, o comércio lojista não pode ser penalizado, pois a maioria das aglomerações estão em eventos sociais, em total desrespeito às orientações das autoridades", afirma a nota.

O Sindilojas-SP também afirma que observa que o comércio ilegal (ambulantes e marreteiros) continua funcionando normalmente e explica que este sim estaria causando aglomerações e, muitas vezes, desrespeito às regras de higiene sanitária.

"Inclusive, esse comércio nunca parou de atuar, até mesmo pelos mais de 80 dias em que as lojas permaneceram fechadas".

A nota ainda encerra afirmando que o comércio lojista está fragilizado neste momento e as empresas que sobreviveram até agora correm o risco de fechar.

"Estamos com os prazos de pagamento de impostos vencendo, com pagamento de 13º salários, férias de funcionários, pagamentos integrais de aluguéis de lojas de rua e de lojas satélites, e o comércio em geral ainda apresenta faturamento baixo e vendas fracas.

Apesar disso, o Sindilojas-SP afirma que continua seu trabalho de orientação e ajuda às empresas, bem como na conscientização das autoridades.