X

50%

Metade dos carros elétricos do Brasil vêm da China

Importações aumentaram em relação ao ano passado; especialista que morou muitos anos na China avalia mercado

Da Reportagem

Publicado em 03/10/2023 às 20:25

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Produção de veículos pelo país asiático é um mercado que só deve crescer / Divulgação

O surgimento de carros elétricos é uma tendência e já pode ser acompanhada em algumas cidades do país - mas esses automóveis vêm de fora. O Brasil importou 62.340 carros elétricos de janeiro de 2017 até agosto deste ano, representando US$ 619,15 milhões. 32 mil, ou 51%, destes veículos são chineses. Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Para Lincoln Fracari, diretor da China Link Trading, maior consultoria Brasil - Ásia, a produção de veículos pelo país asiático é um mercado que só deve crescer. O especialista, que morou na China por mais de dez anos, diz que, naquela época , "Os táxis e as frotas de ônibus já eram elétricas. Eles acreditam muito na parte de sustentabilidade alternativa ao combustível. Essa é uma tendência principalmente para os carros que se transportam dentro do perímetro urbano; esses vão ser os mais bem beneficiados no curto prazo".

Mas Lincoln acredita que essa tecnologia e modelo de transporte ainda demoram a chegar ao Brasil: "É tendência mas ainda tem pouca infraestrutura pra carregar um carro elétrico, por exemplo. Poucos condomínios e escritórios estão começando a colocar seus pontos de carregamento, então deve demorar um pouco mais", pontua.

O segundo país que mais vendeu carros elétricos ao Brasil foi a Índia. Foram mais de 16 mil veículos. Neste ano, a China negociou 47,1% do total de automóveis do tipo importados pelo Brasil - foram mais de três mil veículos vindos de lá, um total de US$ 59,73 milhões.

BRASIL E CHINA
O Brasil compra muitos carros da China e isso não deve parar. De janeiro. agosto de 2023, foram US$ 440,2 milhões, representando 13,6%. O resultado já supera todo o ano passado - US$ 186,7 milhões em vendas ao Brasil. Lincoln Fracari também conta que a região de Xangai, na China, é muito estratégica neste sentido: "Uma das maiores produtoras de autopeças fica na China, muitos empresários vão pra lá pra buscar peças de reposição mais baratas do que eles encontram aqui no Brasil!".

7.152 compradores de automóveis com motor elétrico que foram importados da China para o Brasil  neste ano. Davi Bertoncello, CEO da Tupinambá Energia, start up de mobilidade elétrica que tem um app de localização de ponto de recarga, diz que observa crescimento acelerado na eletrificação da frota brasileira.

"Com um crescimento de 300% ao ano em pontos de recarga e mais de 500% em energia fornecida, o mercado de veículos elétricos veio para ficar. O consumidor compreendeu a conveniência de um veículo elétrico. Para muitos a experiência parte de um veículo 100% carregado todos os dias em sua garagem. Para os gestores de frotas, o benefício vem na redução do custo operacional, este consideravelmente menor e preenchendo ao mesmo tempo importantes metas de ESG".

EXPERIÊNCIA.
Thiago Garcia é bancário e motorista de aplicativo e comprou o carro elétrico dele em 2019. Entre os principais motivos, estão a isenção de rodízio na cidade e o custo de manutenção e combustível: "Fechei o financiamento antes por causa da alta dos preços, na época, dos combustíveis. Os passageiros gostam muito, eu também e inclusive minha nota subiu no app de e, também, minhas gorjetas!".

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Sindicato decide adiar greve do Metrô de SP e linhas funcionam normalmente

Segundo eles, parte das reivindicações da categoria foram atendidas

Cotidiano

Confira o resultado do Timemania no concurso 2095, nesta terça (21)

O prêmio é de R$ 2.500.000,00

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter