X
Economia

Investir em criptomoedas como o caso do Jade Picon é seguro? Especialista comenta

Segundo o especialista, pessoas que investem recursos em criptoativos como seu principal investimento, geralmente, apresentam uma vontade de ter um lucro extraordinário - não se importando com os riscos

Para especialista, as criptomoedas são ativos especulativos muito complexos, porque não existe um lastro específico desses ativos / Divulgação

Na última semana, a influenciadora digital Jade Picon, participante do Big Brother Brasil, comentou com os outros participantes do reality, que o seu irmão, Leonardo Picon, empreendedor e também influenciador digital, teria investido uma boa quantia de dinheiro em criptomoedas e havia perdido dinheiro. Mas por que será?

De acordo com o Igor Lucena, economista e empresário, é importante analisar que a fala da Jade Picon, dentro do Big Brother Brasil, é bem interessante, pois ela faz uma crítica que muita gente não se atenta. "A grande maioria das pessoas que falam sobre criptomoedas ou criptoativos, sempre vêem os movimentos de alta que ocorrem como bitcoin ou etéreo, ou até mesmo a ripple. Entretanto, as criptomoedas são ativos especulativos muito complexos, porque não existe um lastro específico desses ativos, como por exemplo um fundo de investimento ou o próprio dólar. Esses ativos não têm uma base de garantias, não existem órgãos governamentais que possam restituir as pessoas, se esses ativos forem perdidos ou roubados e, em muitos países, a sua negociação pode até ser ilegal", comenta.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Entretanto, ainda segundo o especialista, pessoas que investem recursos em criptoativos como seu principal investimento, geralmente, apresentam uma vontade de ter um lucro extraordinário - não se importando com os riscos.

"No caso que acompanhamos da Jade Picon, onde ela cita que o seu irmão investiu em criptomoedas e não deu certo, é um caso muito mais comum do que aquelas pessoas que ganharam dinheiro com criptoativos. Isso porque, do ponto de vista de investimento, o mais correto é o primeiro investimento diversificado - onde a pessoa tem parte em ações, renda fixa, moedas estrangeiras e, depois que você cria ativos que são muito mais seguros e estáveis, aí sim podem investir em criptomoedas, sabendo de todos os riscos. Esse caso comentado no Big Brother é uma coisa bastante comum, e preocupa muito as autoridades, quando vemos pessoas sem assessoria correta e por serem ativos voláteis, colocar muito dinheiro ou vender carro e casa, retirar dinheiro de outras aplicações, como fundo de rendas fixas, para colocar todos os recursos em criptomoedas, não só é perigoso, mas é temerário do ponto de vista de finanças pessoais", complementa Igor. 

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Guarujá

Workshop sobre de gestão portuária e empresarial acontece na quinta-feira (30)

As inscrições podem ser realizadas até a próxima segunda-feira (27); haverá certificação internacional para os participantes

Litoral Norte

Inverno quente no Circuito Litoral Norte de São Paulo: atrativos e eventos agitam a temporada

Mesmo durante a estação mais fria do ano, as cinco cidades continuam formando um dos principais destinos do estado para curtir a natureza

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software