X

Economia

Instabilidade do Plano São Paulo prejudica bares e restaurantes, diz especialista

Na quarta-feira (03), o Governo do Estado de São Paulo anunciou um pacote econômico para ajudar o setor. As condições e o detalhamento de quem poderá ter acesso aos benefícios ainda serão divulgadas

Da Reportagem

Publicado em 05/02/2021 às 19:05

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

A especialista indica que neste período de incertezas, é preciso investir em parcerias com fornecedores para entregas menores e contínuas, comprando apenas o que está em falta. / NAIR BUENO/DIÁRIO DO LITORAL

Comparando o período pré-pandemia com o momento atual, segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-SP), 30% dos bares e restaurantes já fecharam as portas porque faliram. De acordo com Ana Paula Coelho, CEO da Monte Carlo Alimentos - distribuidora com 26 anos de mercado focada em pequenos negócios do setor food service - a instabilidade das restrições durante a pandemia pode contribuir para o fechamento de mais estabelecimentos daqui a alguns meses.

“Com o salão dos bares e restaurantes fechados, os comerciantes precisam diminuir e organizar seus estoques de insumos para não ficar no prejuízo. Mesmo operando em sistema delivery, não atende em média 20% dos custos para manter um estabelecimento aberto. Por isso, a gestão de estoque de  alimentos dos estabelecimentos feita de uma maneira correta equivale a 15% da lucratividade dos negócios”, afirma a especialista. 

Na quarta-feira (03), o Governo do Estado de São Paulo anunciou um pacote econômico para ajudar o setor. As condições e o detalhamento de quem poderá ter acesso aos benefícios ainda serão divulgadas. Para Ana Paula, a medida pode aliviar alguns gastos de bares e restaurantes que estão sendo impactados com horário menor de funcionamento, além do fechamento dos salões. 

A especialista indica que neste período de incertezas, é preciso investir em parcerias com fornecedores para entregas menores e contínuas, comprando apenas o que está em falta. “Trabalhar com um estoque mais enxuto pode ser um meio de movimentar as provisões de maneira rápida sem perder produtos. Converse também com seus fornecedores e descubra se podem fazer algo juntos. Eles também têm produtos a serem trabalhados com urgência. Outra dica é substituir alguns alimentos, embora trabalhar com produtos frescos seja preferido por muitos empreendedores, algumas substituições podem valer a pena neste momento”, finaliza.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Nacional

'Há sobras de caixa para investirmos em Cultura', diz Presidente da Petrobrás

Ele ainda comentou, que desde o inicio do governo Lula estão sendo pensado projetos que já somam R$ 150 milhões investidos pelo patrocínio da Petrobras

Nacional

Desmatamento na Amazônia cai 60% em janeiro deste ano

Com 40% de perdas, Roraima lidera ranking dos que mais desmataram

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter