Economia

IBGE: monitorados e mensalidade escolar devem pressionar IPCA de fevereiro

O IPCA de fevereiro deve vir ainda com influência do sistema de bandeiras tarifárias sobre as contas de energia elétrica, já que, assim como janeiro, o mês terá a bandeira vermelha

Publicado em 06/02/2015 às 15:15

Comentar:

Compartilhe:

Após a alta de 1,24% em janeiro, a inflação oficial em fevereiro também deve vir pressionada, sobretudo por conta dos reajustes de bens e serviços monitorados e dos aumentos nas mensalidades escolares. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) lembra que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de fevereiro absorverá impactos de reajustes de energia em São Paulo; e efeitos residuais de aumentos da tarifas de ônibus urbano em Recife, São Paulo e Fortaleza; táxi em Salvador; além de ônibus intermunicipal, trem e metrô em São Paulo.

Outras pressões previstas sobre a inflação virão do aumento de 14,23% na taxa de embarque de passagens aéreas a partir de 14 de fevereiro; do repasse da elevação de impostos sobre os combustíveis; dos aumentos dos cigarros (de 7,5% a partir de 12 de janeiro); e dos reajustes de mensalidades escolares.

"Os meses de fevereiro são tradicionalmente pressionados, que é quando o IPCA apropria os reajustes das escolas. Os reajustes das escolas não são diluídos ao longo do ano, eles são concentrados em fevereiro. Além disso, tem o aumento de impostos da gasolina", lembrou Eulina Nunes dos Santos, coordenadora de Índices de Preços do IBGE.

A inflação oficial em fevereiro também deve vir pressionada por conta dos aumentos nas mensalidades escolares (Foto: Matheus Tagé/DL)

O IPCA de fevereiro deve vir ainda com influência do sistema de bandeiras tarifárias sobre as contas de energia elétrica, já que, assim como janeiro, o mês terá a bandeira vermelha, repassando ao consumidor o gasto maior pelo acionamento de usinas térmicas. "Ainda temos que acompanhar a história da bandeira tarifária que pode sofrer um novo reajuste, mas em fevereiro ela continuará vermelha", afirmou Eulina.

A coordenadora do IBGE acredita que a estiagem contribuiu para que a taxa do IPCA acumulada em 12 meses ficasse acima de 7% pela primeira vez desde 2011. Quanto à manutenção desse patamar em fevereiro, Eulina avalia que depende das condições climáticas "Durante o ano de 2014, a taxa (em 12 meses) girou em torno de 6,5%, e agora passou para 7%. Daqui por diante, tudo vai depender da continuidade ou não desses fenômenos climáticos que são totalmente imprevisíveis", disse ela.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Santos

Santos terá museu de artes plásticas com entrada gratuita; veja

A expectativa é que obras de Nuno Ramos, Jarbas Lopes e Sergio Romagnolo cheguem a cidade

Diário Mais

Artista usa inteligência artificial e emociona ao mostrar como estariam os Mamonas hoje

Grupo musical morreu em trágico acidente aéreo em 2 de março de 1996

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter