Estoque de crédito chega a R$ 2,6 tri em outubro, diz BC

De acordo com a autoridade monetária, o crédito livre cresceu 0,2% no mês e 8% em 12 meses, enquanto o direcionado aumentou 0,9% ante setembro e 24,6% em 12 meses

Comentar
Compartilhar
28 NOV 201312h36

O estoque de operações de crédito do sistema financeiro subiu 0,5% no mês de outubro em relação a setembro e atingiu R$ 2,610 trilhões, informou nesta quinta-feira, 27, o Banco Central. No acumulado do ano, houve alta de 10,2% e em 12 meses, de 14,7%. De acordo com a autoridade monetária, o crédito livre cresceu 0,2% no mês e 8% em 12 meses, enquanto o direcionado aumentou 0,9% ante setembro e 24,6% em 12 meses.

No crédito livre, houve crescimento de 0,6% para pessoas físicas no mês, 6,1% no acumulado do ano e 8,1% em 12 meses. Para as empresas, no crédito livre houve retração de 0,3% em outubro e altas de 3,6% no ano e de 7,8% em 12 meses. O total de operações de crédito em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) caiu de 55,5% em setembro para 55,4% em outubro.

Veículos

O estoque de operações de crédito livre para compra de veículos por pessoas físicas recuou 0,1% em outubro em relação ao mês anterior. Com isso, o total de recursos para aquisição de automóveis por esse grupo de clientes ficou em R$ 193,220 bilhões no mês passado. No acumulado do ano, o saldo permanece estável. Em 12 meses, houve crescimento de 1,5%.

As concessões acumuladas no mês de outubro para financiamento de veículos para pessoa física somaram R$ 8,136 bilhões, o que representa alta de 14,2% em relação ao mês anterior. No acumulado do ano, em relação ao mesmo período do ano anterior, houve queda de 4,0%. Em 12 meses, houve recuo de 5,5%.

O estoque de operações de crédito livre para compra de veículos por pessoas físicas recuou 0,1% em outubro em relação ao mês anterior (Foto: Divulgação)

O BC informou ainda que o saldo de operações de leasing para compra de veículos por pessoas físicas registrou queda de 7,0% ante setembro. O saldo ficou em R$ 8,894 bilhões no final do mês passado. No ano, a queda é de 49,8%. Em 12 meses, o recuo foi de 55,7%. (Eduardo Cucolo e Eduardo Rodrigues - [email protected] e [email protected])

Habitação

As operações de crédito direcionado para habitação no segmento pessoa física cresceram 2,2% em outubro ante setembro, totalizando R$ 326,398 bilhões, de acordo com o BC. No acumulado do ano, a expansão foi de 27,8%. Em 12 meses, de 34,5%.

Segundo o BC, R$ 35,130 bilhões se referem a empréstimos a taxas de mercado e R$ 291,268 bilhões, a taxas reguladas. O BC deixou de incorporar nestes dados as operações com crédito livre, por serem residuais. As operações a taxas de mercado apresentam crescimento de 2% no mês e de 44,7% em 12 meses. Já os financiamentos a taxas reguladas avançaram 2,2% ante o mês anterior e 33,3% em 12 meses.

Spread

O spread bancário médio no crédito livre subiu de 17,8 pontos porcentuais (pp) em setembro para 18,4 pontos porcentuais em outubro. O spread médio da pessoa física no crédito livre subiu de 25,8 pp. para 27,0 pp.. Para pessoa jurídica, o spread médio caiu de 10,8 pp. para 10,7 pp. no período.

O spread médio do crédito direcionado segue em 2,4 pp. há três meses. O spread médio no crédito total (livre + direcionado) subiu de 11,2 pp. para 11,6 pp. A taxa de captação dos bancos no crédito livre se manteve em 10,6% ao ano na mesma comparação.

Inadimplência

A taxa de inadimplência no crédito livre recuou ligeiramente em outubro ante setembro, segundo o BC. Os atrasos acima de 90 dias no crédito livre caíram de 5,1% para 5% no mês passado. Para empresas, os calotes se mantiveram em 3,4% pelo terceiro mês consecutivo. Para pessoa física, o porcentual caiu de 7% para 6,8%.

A inadimplência do crédito direcionado caiu de 1,1% em setembro para 1,0% em outubro. O dado que considera crédito livre mais direcionado mostra inadimplência de 3,2% em outubro, ante 3,3% em setembro.

No crédito livre para pessoa física, a inadimplência no crédito pessoal caiu de 4,2% para 4%. No cheque especial, subiu de 8,5% para 8,6%. Na aquisição de veículos, caiu de 5,7% para 5,5%. No cartão de crédito, aumentou de 24,7% para 24,9%, puxada pelo aumento de 0,5 ponto porcentual no rotativo, cujos atrasos representam 34,6%. Para as empresas, destaque para o aumento de 3,7% para 3,8% na inadimplência na linha capital de giro.

Concessões

A média diária de concessões do crédito livre caiu 4,5% em outubro ante setembro, para R$ 11,7 bilhões. No direcionado, a média recuou 3,8% ante setembro, somando R$ 1,9 bilhão em outubro. Na soma de crédito livre mais direcionado, houve queda de 4,4% no mês.

Segundo o BC, "o crescimento moderado do crédito em outubro refletiu, em parte, a recuperação do impacto causado pela greve bancária iniciada na segunda quinzena de setembro, condicionado, principalmente, pelo aumento nas concessões de financiamentos para pessoas físicas, em ambiente de recuperação gradual do ritmo da atividade econômica."

De acordo com a instituição, em linha com a tendência observada ao longo do ano, a expansão mensal foi mais acentuada no crédito direcionado, sobretudo na carteira de pessoas físicas, do que nas operações com recursos livres.