Confiança do comerciante paulistano cai 3,9% em fevereiro

Os dados, divulgados hoje (19), são da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo

Comentar
Compartilhar
19 MAR 201516h26

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) no município de São Paulo atingiu 95,3 pontos em fevereiro, 3,9% abaixo dos 99,1 pontos verificados em janeiro, e 15,2% menor que o registrado no mesmo mês do ano passado.  Os dados, divulgados hoje (19), são da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). O indicador varia de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total).

As últimas vezes em que o resultado ficou abaixo de 100 – linha divisória entre o otimismo e pessimismo – ocorreram em julho e setembro de 2014 e janeiro de 2015. “A queda na confiança do comerciante paulistano deve-se ao cenário de vendas fragilizado pela desaceleração do consumo, aliado ao crédito mais caro, custos fixos cada vez mais pressionados e inflação elevada, além da atual crise hídrica, que acaba influenciando as expectativas do setor produtivo”, avaliou a entidade , em nota.

A redução da confiança foi mais expressiva entre as grandes empresas (mais de 50 funcionários). Nelas, o índice teve diminuição de 9,1% na comparação com janeiro. No entanto, as maiores ainda mantêm patamar geral de confiança mais alto do que as pequenas (101,6 pontos contra 95,1 pontos).

O Icec é feito a partir de entrevistas mensais com 600 empresários do município de São Paulo, com amostragem dos setores de não duráveis, semiduráveis e duráveis.