Comércio paulista fecha 5,8 mil postos de trabalho em junho, diz FecomercioSP

Segundo a entidade, o primeiro semestre é marcado por retração do emprego formal, mas em 2018 o cenário se agravou em razão da greve dos caminhoneiros e do desempenho frustrante da economia

Comentar
Compartilhar
14 AGO 2018Por Estadão Conteúdo00h31
Comércio paulista fecha 5,8 mil postos de trabalho em junhoComércio paulista fecha 5,8 mil postos de trabalho em junhoFoto: Arquivo DL

O comércio paulista fechou 5,8 mil vagas de trabalho em junho, o que levou o total de postos eliminados durante o primeiro semestre deste ano para 33,7 mil. Feito com base em dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho (Caged) de nove ramos do comércio em 16 regiões do Estado, o levantamento é divulgado pela FecomercioSP e vem registrando cortes na força de trabalho do setor desde o início do ano. A exceção foi abril, quando foram criadas 2,3 mil vagas.

Segundo a entidade, o primeiro semestre é marcado por retração do emprego formal, mas em 2018 o cenário se agravou em razão da greve dos caminhoneiros e do desempenho frustrante da economia. A FecomercioSP observa que o desemprego continua elevado e o consumo das famílias, represado. 

"Esta reunião de cenários, aliado ao próximo pleito eleitoral, causa aumento da incerteza e, naturalmente, da confiança dos empresários", comenta a entidade.

Entre nove atividades monitoradas, apenas as concessionárias de veículos abriram vagas em junho: 170 novos postos. Na ponta oposta da lista, fecharam mais vagas as lojas de vestuário, tecidos e calçados (1,8 mil) e o varejo de materiais de construção (1,2 mil).