Brasileiro precisa trabalhar 40 horas para comprar camisa da Seleção Brasileira

Pesquisa calcula quanto tempo o morador de cada nação leva para comprar a camisa da própria seleção

Comentar
Compartilhar
24 JUN 2019Por Da Reportagem18h31
O brasileiro precisa trabalhar cerca de 40 horas para obter a camisa da SeleçãoFoto: Divulgação/Fifa

São poucos os eventos capazes de reunir tantas pessoas de diferentes etnias em um só lugar como o futebol faz. Em época de Copa do Mundo Feminina da FIFA, o Cuponation, plataformas de descontos online, reuniu num levantamento a média de tempo, em horas, que um torcedor levaria para fazer a aquisição da camisa da seleção oficial da própria nação, de acordo com o salário mínimo do respectivo país.

Os jogos da Copa, que este ano tem sede na França e serão realizados até o dia 7 de julho, conta com 24 equipes de seis confederações de realidades distintas, contabilizando mais de 18 mil de torcedores por partida.

No levantamento da plataforma, foi considerado que o valor das camisas de cada seleção fosse, ao converter, igualmente o mesmo preço da camisa oficial da seleção brasileira, ou seja, R$249.

Ao comparar o preço da camisa da seleção do Brasil com o salário mínimo do país, foi calculado que o brasileiro precisa trabalhar cerca de 40 horas para obter o produto, ficando na 19º posição, dentre as 24, do ranking.

Noruega e Camarões tem a maior diferença de tempo trabalhado entre os países pesquisados: 214 horas. Enquanto no país  europeu são necessárias apenas 3 horas de serviço para a compra do item da seleção, no país africano são necessárias cerca de 217 horas de trabalho para adquirir o produto. 

No ranking das seleções que precisam trabalhar mais para adquirir a camisa oficial, Nigéria (África) e Jamaica (América do Norte) ocupam o antepenúltimo e penúltimo lugar, com 107 e 92 horas, respectivamente. Em contrapartida, os países que estão em segundo e terceiro na lista das nações que menos precisam passar tempo em serviço são Suécia (Europa), trabalhando somente 4 horas, e Austrália (Oceania), trabalhando 5 horas. Veja a lista completa no infográfico interativo.

Em uma comparação com junho de 2015, durante a última Copa do Mundo Feminina, o termo “camisa do Brasil” foi 250% mais buscado no Google em junho deste ano, o que afirma que além dos itens temáticos estarem ganhando maior interesse do público, a população está dando mais importância  aos jogos em que mulheres são as protagonistas.

Colunas

Contraponto