Após IBC-Br, ABC Brasil vê economia melhor em dezembro

O banco previa um avanço de 0,30% do IBC-Br em outubro, abaixo do resultado de 0,77% (na série com ajuste sazonal), divulgado nesta sexta-feira, 13, pelo Banco Central

Comentar
Compartilhar
13 DEZ 201312h45

O economista-chefe do Banco ABC Brasil, Luis Otávio Leal, afirmou que a alta do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) em outubro ante setembro reforça a ideia de que o quarto trimestre pode apresentar uma recuperação melhor do que a esperada, após o recuo de 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB) no terceiro trimestre. "A ideia que alguns levantaram de que poderia haver a segunda queda seguida do PIB cai por terra", disse.

O Banco ABC Brasil previa um avanço de 0,30% do IBC-Br em outubro, abaixo do resultado de 0,77% (na série com ajuste sazonal), divulgado nesta sexta-feira, 13, pelo Banco Central. "Foi uma notícia boa. Podemos dizer que o quarto trimestre começou com o pé direito", comentou.

Segundo ele, mesmo que o IBC-Br venha "zerado" em novembro e dezembro, o dado de outubro garantiria um PIB de quase 0,8% no quarto trimestre, na margem. "É uma boa indicação de que não haverá retração da economia ou crescimento nulo nos três últimos meses do ano", explicou.

O economista disse que projeta uma expansão de 0,5% do PIB no quarto trimestre, com viés de alta. "Pode haver alguma surpresa positiva na área de investimento", afirmou. A estimativa do Banco ABC Brasil para o PIB em 2013 é de 2,2%.

Segundo um economista, mesmo que o IBC-Br venha