X
Economia

ANP: etanol deixa de ser competitivo em relação à gasolina em todo o País

Os critérios consideram que o etanol de cana ou de milho, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso

O etanol deixou de ser competitivo ante a gasolina em todos os Estados do Brasil nesta semana, mostra levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas. Os critérios consideram que o etanol de cana ou de milho, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.


Na média dos postos pesquisados no País, o etanol está com paridade de 75,60% ante a gasolina, portanto menos favorável do que o derivado do petróleo. Em São Paulo, onde geralmente o etanol é mais competitivo do que a gasolina, a situação se inverteu, com paridade de 76,46%.

Executivos do setor afirmam que o etanol pode ser competitivo com paridade maior do que 70%, a depender do veículo em que o biocombustível é utilizado.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

TEMPO

Novo ciclone extratropical chega à Baixada entre esta terça e quarta-feira

O alerta amarelo significa risco de vendaval para as cidades paulistas litorâneas e parte do litoral do Rio de Janeiro

ELEIÇÕES 2022

Haddad lidera em SP com 29%, Tarcísio tem 12% e Rodrigo, 9%, aponta pesquisa

A pesquisa, contratada pela TV Globo, foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número SP-04035/202

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software