Alunos de Guarujá se formam em curso do “Via Rápida Emprego”

As aulas aconteceram na Etec Alberto Santos Dumont e a turma recebeu o certificado de “Alimentador de Linha de Produção”

Comentar
Compartilhar
19 DEZ 201316h47

Buscar qualificação profissional para conquistar novas oportunidades no mercado de trabalho é um sonho comum para muitas pessoas. E na terça-feira (17), 23 munícipes de diferentes idades e histórias de vida realizaram este sonho ao se formarem no curso de “Alimentador de Linha de Produção” - capacitação do programa “Via Rápida Emprego”. O programa estadual é desenvolvido em parceria com a Prefeitura de Guarujá e as aulas ministradas na Etec Alberto Santos Dumont, onde aconteceu também a formatura.

Na oportunidade, o secretário adjunto de Desenvolvimento Tecnológico e Logístico, Adilson Cabral, representou a prefeita Maria Antonieta de Brito. Em seu discurso, ele pontuou que Guarujá possui escolas públicas de qualidade oferecendo cursos técnicos, como a Etec Santos Dumont e a Escola 1º de Maio, garantindo a qualificação profissional gratuita aos munícipes que sonham com novos espaços na sociedade.

“Precisamos valorizar a simplicidade e as pequenas coisas que fazem a diferença. Sempre esperamos algo grandioso e fantástico, como nos filmes de Spierlberg, mas é preciso enxergar oportunidade nas pequenas coisas. Vocês acabam de se tornar referências para muitas outras pessoas. Toda vez que nós, do poder público, vamos à formatura, seja da Educação Infantil ou de Doutorado, ficamos revigorados”, disse.

De acordo com o diretor da Etec, Antônio Joaquim Almeida Ferreira, o momento foi muito especial. Ele deixou uma mensagem aos novos profissionais: “As pessoas sempre desejam boa sorte às outras que ingressam no mercado de trabalho. Mas o que é a sorte? Sorte nada mais é do que o cruzamento da capacidade com a oportunidade. Quando elas se cruzam, é que surge a sorte”, falou o diretor da unidade.

A emoção tomou conta da professora Maria Denise Rocha, coordenadora do curso. Ela já havia coordenado os cursos de “Soldagem” na carreta do “Via Rápida Emprego” e outros de “Técnico de Vendas” e “Operador de Telemarketing”, na própria unidade da Etec.

“É muito importante para nós porque, além do aprendizado, cada um traz de casa um pouco de sua história de vida. Eles trazem sofrimento, tristeza, carinho, alegria... E é muito bom compartilhar tudo isso com eles. Chega a ser até uma gratidão estar aqui”, confessou.

Benefícios – A capacitação contou com 230 horas/aula e, como preconiza o programa “Via Rápida Emprego”, cada aluno recebeu uma bolsa mensal de R$ 460, sendo R$ 150 para vale transporte, R$ 100 para vale alimentação e R$ 210 para bolsa auxílio. Além disso, os beneficiários ganharam sete apostilas e material didático.

Novos horizontes – Maria do Socorro Pereira, moradora do Jardim dos Pássaros, foi eleita a melhor aluna da turma pelo seu desempenho. Ela trabalhava como auxiliar de Enfermagem, chegou a cursar dois anos de faculdade de Turismo em 1997 e, depois de 16 anos sem estudar, agora vai ingressar na área industrial. Para o próximo ano, pretende fazer o curso de Soldagem. “Resolvi mudar de profissão porque sempre trabalhei na Saúde por amor. Agora não vou mais ter a responsabilidade de lidar com seres humanos, mas com máquinas. Vou seguir por este caminho da indústria”, contou.

O estudante de Ensino Médio, Leandro Vinícius Pereira tem 17 anos e só havia trabalhado na praia durante as temporadas de verão. Morador da comunidade Santa Clara, buscava algo mais estável e ingressou no curso. Com o certificado em mãos, avalia que a experiência valeu a pena. “É algo diferente porque tinha gente muito mais velha que eu. No primeiro dia até achei que tinha entrado em classe errada. Agora, quero fazer mais cursos e aqui aprendi também sobre união, humildade e respeito”, confidenciou o jovem.

Leandro é da idade do neto mais velho de Luciano Lúcio Pereira, avô de cinco crianças e adolescentes. Luciano também se formou em “Alimentador de Linha de Produção”. Ex-taxista e que está atuando provisoriamente como caminhoneiro, o morador do Jardim Esperança estava há 40 anos fora da sala de aula, até aparecer a atual oportunidade. “Vim fazer o curso para ter mais um aprendizado. É bom estar sempre se atualizando e buscar mais conhecimento porque o mercado está sempre se desenvolvendo”, finalizou.