Aluguel residencial médio em SP sobe 2,1% em janeiro, diz o Secovi

Apesar da alta em janeiro, o diretor de Locação da Secovi-SP, Mark Turnbull, estima que o valor do aluguel deva se manter abaixo do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) em 2015

Comentar
Compartilhar
19 FEV 201511h25

O valor médio dos aluguéis residenciais em São Paulo avançou 2 1% em janeiro na comparação com o mesmo mês de 2014, segundo pesquisa divulgada pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), nesta quinta-feira, 19. Em relação a dezembro, o custo da locação aumentou 0,4% no último mês.

Apesar da alta em janeiro, o diretor de Locação da Secovi-SP, Mark Turnbull, estima que o valor do aluguel deva se manter abaixo do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) em 2015. Nos doze meses anteriores a janeiro, o indicador somou alta de 3,9%, mais de 1,8 pontos porcentuais acima da variação dos preços dos aluguéis.

As unidades de um dormitório foram as únicas que registraram acréscimo na comparação mensal, com alta de 1,3% entre dezembro e janeiro. O aluguel dos imóveis com dois quartos ficou estável no período e os valores das moradias com três quartos tiveram queda de 0,4%.

O valor médio dos aluguéis residenciais em São Paulo avançou 2 1% em janeiro na comparação com o mesmo mês de 2014 (Foto: Paulo Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas)

O estudo mostrou ainda que as casas foram alugadas em um prazo médio de 15 a 36 dias. Já os apartamentos foram escoados em 22 até 46 dias.

A modalidade de garantia mais comum em janeiro foi o fiador, responsável por 46,5% das locações efetuadas. O segundo tipo mais frequente foi o depósito de até três meses de aluguel, utilizado em 34% dos casos. O seguro-fiança foi usado em 19,5% das moradias locadas.

Colunas

Contraponto