Acordo pode banir vinhos, queijos e mortadela dos supermercados

Caso o acordo seja confirmado, indústrias e laticínios do Brasil terão de mudar o nome e a embalagem de seus produtos

Comentar
Compartilhar
10 DEZ 2017Por Nilson Regalado11h01
É o caso dos vinhos prosecco, dos queijos feta, gruyere, gorgonzola, parmesão e grana padano e da mortadela bolonhaFoto: Divulgação

A iminente assinatura de um acordo de livre comércio entre Mercosul e União Europeia pode provocar uma revolução no comércio de alimentos e bebidas no Brasil. A discussão entre os dois blocos deve ser concluída ainda este ano e vai proibir o uso pela indústria brasileira de nomes ‘patenteados’ por nações europeias. Esse é o caso dos vinhos prosecco, dos queijos feta, gruyere, gorgonzola, parmesão e grana padano e da mortadela bolonha.

Assim, o termo parmesão passaria a ser usado exclusivamente para o queijo Parmigiano Reggiano, produzido na Itália. Caso o acordo seja confirmado, indústrias e laticínios do Brasil terão de mudar o nome e a embalagem de seus produtos. Mais: o setor produtivo terá de promover um novo registro de seus produtos junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

Essa restrição ao uso de nomes ‘patenteados’ através da indicação geográfica de origem obrigou produtores brasileiros de ‘champanhe’ a mudar o rótulo de seus produtos a partir de 2013. Isso porque o termo só pode ser usado nos vinhos da região de Champagne, na França. Desde então, as vinícolas do Brasil só podem identificar bebidas gaseificadas de uva como ‘espumante’.

Mesmo marcas registradas e consolidadas no País, constantes da legislação brasileira de bebidas, como Genebra e Steinhaeger terão de se adaptar à nova regra por exigência da União Europeia. A lista de produtos com indicação geográfica que a União Europeia pretende proteger contém 347 nomes de alimentos e bebidas. A do Mercosul tem 200.

O Greenpeace obteve documentos da negociação que preveem um aumento de até 200% na exportação de carne do Mercosul para a Europa após a assinatura do acordo. A denúncia com 171 páginas revelou que isso representaria sério risco de danos irreversíveis no Chaco, bioma que cobre Argentina, Bolívia e Paraguai. Para cumprir o compromisso também seria preciso abrir novas áreas de pastagem na Amazônia e no Cerrado brasileiro.

Economia do Brasil...
O preço do leite na porteira da fazenda cai sem parar desde junho. E a importação de lácteos fechou o mês passado com queda de 55,8% em ­relação a novembro de 2016. Motivo: vendas em baixa nos supermercados!

...sem maquiagem!
Só na última semana de novembro, o preço do leite longa vida registrou tombo de 2,16% no atacado de SP, após outras duas semanas seguidas de baixa devido aos estoques elevados. Os dados são do Cepea/USP.

Nem tudo está perdido
Deu na Revista Science: União Europeia, Canadá, Rússia, EUA, Dinamarca, Noruega, Islândia, Japão, China e Coréia do Sul assinaram, há dez dias, um acordo que protegerá 2,8 milhões de kms quadrados de águas internacionais. Objetivo: suspender a pesca no Oceano Ártico para permitir a recuperação dos estoques pesqueiros, super explorados na região.

O perfume de Gabriela...
A terra imortalizada por Jorge Amado em livros como ‘Gabriela, Cravo e Canela’ e ‘Seara Vermelha’ terá mais uma atração a partir do verão.

...e o aroma do chocolate
Lançado nesta semana, o roteiro turístico Estrada do Chocolate percorre fazendas históricas com arquitetura preservada, cachoeiras, fábricas de chocolate gourmet e a biofábrica de cacau. A rota também brinda o turista com praias paradisíacas entre Ilhéus e Uruçuca, no sul da Bahia!

Cerveja, churrasco...
A Budweiser acaba de lançar ‘BUD & BBQ’, obra que combina cerveja e churrasco com páginas sincronizadas que se complementam visualmente. O livro, produzido pela agência de publicidade África, está disponível no site Empório da Cerveja, por R$ 159,90, em edição limitadíssima.

...só falta o futebol!
Enquanto em BUD o leitor encontra detalhes sobre como Budweiser é feita, em BBQ o público poderá conhecer o jeito único com que 26 chefs prepararam o churrasco, cada um com seus cortes e estilos próprios.

Filosofia do campo:
“Eu prefiro um galope soberano à loucura do mundo me entregar”, Zé Ramalho, cantor e compositor paraibano, in ‘Canção Agalopada’.