X

Diário Mais

Sem 'migué': como funciona novo radar doppler que chegou a SP

Nova fiscalização já está em ação na Capital paulista e não dá margem para diminuir a velocidade do carro em cima do radar

Da Reportagem

Publicado em 14/05/2024 às 16:11

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Novo radar doppler não permite que motorista diminua a velocidade próximo ao ponto de fiscalização / Divulgação

Um novo tipo de radar está sendo adotado rapidamente pelas cidades do País. O tipo doppler é uma medição conhecida em outros setores há décadas, mas agora está sendo usada para fiscalizar os mais abusados no trânsito.


Siga as notícias do Diário do Litoral no Google Notícias

O funcionamento é simples: o aparelho emite ondas eletromagnéticas contínuas que, quando rebatidas pelos veículos, mudam de frequência. Essa diferença de aumento ou diminuição das frequências permite aferir a velocidade e outros fatores. "Laços" virtuais servem de baliza para a medição.

O doppler permite identificar a velocidade à longa distância, podendo chegar a 100 metros antes ou depois do aparelho. Ou seja, não tem como dar o ‘migué’ de diminuir a velocidade em cima do radar para acelerar logo depois de passar pelo aparelho. É como se fosse um laço virtual. A cobertura chega a quatro faixas, sem espaço para alguém desviar delas.


Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Além da velocidade acima da máxima permitida, esse tipo de aparelho indica se o veículo está parado sobre a faixa de travessia de pedestres, avanço de sinal vermelho, andar na contramão e conversão proibida. Sem falar que conseguem detectar ainda o número de pessoas no modelo e infrações como o uso de celular.

E tem a vantagem de não precisar destruir o pavimento para ser instalado ou gerar obstruções de trânsito para manutenção. Por isso mesmo, os radares do tipo doppler são chamados de não intrusivos.

O nome de batismo é uma homenagem a Christian Andreas Doppler, físico austríaco que descobriu, ainda no século XIX, o efeito, descoberta compartilhada com o também físico Hippolyte Fizeau.

A instalação deste tipo de radar em São Paulo está sendo implementada e irá até o início do ano que vem para ter todos em operação. Na capital paulista, de acordo com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), há sete radares do tipo em ação, não mais em período de testes.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Nacional

Não perca as contas: você sabe quantas vezes o cantor Fábio Jr. se casou?

A lista é bem extensa e pode confundir os fãs

Cotidiano

Biquíni com casaco? Litoral de SP terá sol nos próximos dias, mas sem calor

Apesar da presença constante do sol, as máximas não passam dos 23 graus

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter