Santista se torna referência com quadros e murais

Aos 33 anos de idade, Leonardo Leite relembra trajetória que começou nos cadernos da infância e o levou a criar grandes murais que têm a Baixada como tema.

Comentar
Compartilhar
22 SET 2019Por LG Rodrigues09h46
Trabalhos de Leornardo podem ser conferidos pelas ruas da Baixada Santista e também na internet.Foto: NAIR BUENO/DIÁRIO DO LITORAL

O desejo de deixar o 'preto e branco' dos escritórios para se aventurar no colorido dos próprios sonhos é o objetivo de muitos brasileiros país afora, mas se tem alguém que conseguiu alcançar esse intento e ainda tornou esse conceito em algo literal foi o santista Leonardo Leite. Artista por formação e natureza, ele hoje ganha o mundo com suas obras saídas diretamente da imaginação de sua alma e dos quadros de seu estúdio.

Aos 33 anos, Leonardo diz que se sente realizado ao criar suas obras em grandes murais espalhados pela cidade, mas revela que apesar da grandiosidade de suas criações, tudo começou da maneira mais simples possível: nas páginas de seus cadernos durante a infância.

"Eu fazia desenhos às vezes colocando a folha por cima de outras ilustrações mesmo e copiando. Amava pintar desenhos animados e especialmente mangás. Os personagens de criações nipônicas sempre me foram grandes inspirações e influenciaram no meu jeito de desenhar", explica.

A vontade de ser artista sempre existiu, mas foi só a partir dos 15 anos de idade que Leonardo começou a se especializar e fez um curso de desenho artístico que abordava temas como anatomia e perspectiva.

"Foi quando comecei a adquirir técnicas. Com o tempo, com meus 18 anos fiz um curso de designer gráfico e comecei a me profissionalizar e comecei a fazer ilustrações para agências e o pessoal começou a conhecer meu trabalho, ver o que eu fazia e encomendava ilustrações. Eram coisas muito mais temáticas".

Leonardo diz que, apesar do trabalho fluir com facilidade, as criações que ele realizava nessa época eram consideradas como algo mais 'de escritório'.

"Era algo mais contido. Eu tinha quem me ditava o que precisava fazer, me passava, era muito o 'formato encomenda' eu acho".

Com um portfólio mais robusto, Leonardo explica que não se sentia insatisfeito com seus trabalhos, mas destaca que eles ainda não representavam tudo aquilo que ele desejava ser e criar. Foi nesse momento após estudar para se formar como um designer de interiores que Leonardo decidiu começar a criar algo mais particular. Nascia assim, em 2013, o Estúdio Prêo.

"Eu sentia muita vontade de fazer algo sozinho e decidi ter meu próprio espaço. Comecei a trabalhar com artes minhas mesmo, uma época eu peguei várias garrafas de vinho, as pintei com artes minhas e chegou a virar febre, vendi inúmeras para a Westwing Store", relembra.

A iniciativa acabou sendo um pontapé inicial enorme para o estúdio e também para Leonardo, que na época ainda dividia as atenções entre seu emprego fixo e o Prêo. O artista continuou realizando suas intervenções ao mesmo tempo em que passou a comercializar quadros que foram vendidos para clientes de todo o Brasil assim como Estados Unidos, Chile e até mesmo Portugal. "Tem muita gente que vem pra cá e quer levar de presente para algum colega que conhece a Baixada, mas está no exterior".

O sucesso levou Leonardo a buscar ambientes maiores e por consequência 'quadros' maiores para suas intervenções artísticas. Foi a partir deste momento que nasceram talvez as obras mais conhecidas do Estúdio Prêo: os murais.

"Já devo ter feito ao menos uns 15 murais desde 2018, mas fica difícil escolher um favorito. Eles são quase como se fossem meus filhos, não tem como escolher um do qual gosto mais. Desde os murais que pinto até os quadros e passando pelos vasos que também transformo em arte, tudo ali é como se fosse um membro da minha família".

Atualmente, ele também estuda a possibilidade de expandir seus trabalhos para a cenografia, que se trata do estudo e a prática da concepção de cenários utilizados em peças teatrais e até mesmo na gravação de longas-metragens.

"Inclusive, no último Encontro de Criadores, eu fui responsável por compor um grande espaço que estava lá, fui o responsável por fazer boa parte da cenografia. É algo que eu acredito que quero trabalhar mais com porque é algo maior e você consegue criar arte de uma forma mais sucinta enquanto trabalha em intervenções", explica.

E as obras de Leonardo não param por aí. Pelo Instagram, os fãs podem acompanhar seu perfil 'Baixada_Sketch' que contém artes da arquitetura histórica da Região e o próprio perfil 'estudiopreo' dentro da mesma rede social onde ele atende tanto os fãs, quanto os clientes que estejam interessados em adquirir alguma de suas obras.

Mas para quem não é lá muito adepto de admirar arte por telas de celular ou computador, não tem problema também. Diversos estabelecimentos comerciais já contam com murais e os endereços de todos eles podem ser conferidos no Instagram do Estúdio Prêo.

Mais recentemente, porém, Leonardo foi convidado no começo deste mês para criar um mural mostrando os canais de Santos no Shopping Pátio Iporanga e a obra já pode ser contemplada por quem quiser conferir o trabalho do artista.

Colunas

Contraponto