X

Cientista Mirim

Projeto de educação ambiental incentiva protagonismo infantil na Baixada Santista

Iniciativa oferece atividades teóricas e práticas sobre sustentabilidade, com ações voltadas ao estudo do oceano

Da Reportagem

Publicado em 08/12/2023 às 17:10

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Projeto Mantas do Brasil, com patrocínio da Autoridade Portuária de Santos, lança a primeira edição do programa Cientista Mirim neste domingo (10) / Arquivo Pessoal

Novas práticas educacionais garantem que as crianças tenham autonomia na aprendizagem. O protagonismo permite que, desde cedo, possam explorar o mundo de maneira autônoma. Isto forma cidadãos ativos, com maior senso de responsabilidade. 

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

O Projeto Mantas do Brasil, com patrocínio da Autoridade Portuária de Santos, lança a primeira edição do programa Cientista Mirim neste domingo (10). Uma investigação científica repleta de conhecimento sobre o mundo marinho acontecerá na praça do Aquário Municipal de Santos, gratuitamente, para quem tem até 12 anos. 

A ação será realizada no encerramento da 7º edição da Semana Lixo Zero Baixada Santista, das 10h às 18h, na Praça Luiz La Scala, s/nº - Ponta da Praia, em Santos. Além das oficinas, haverá uma feira com a participação diversos expositores, venda de produtos sustentáveis e atrações artísticas. Haverá, também, um Drive Thru da Reciclagem com coleta de eletroeletrônicos e coleta de óleo de cozinha pela Biolitoral.

O programa surgiu através de um coletivo do Projeto Mantas do Brasil. Estudantes de todo o país, de 18 a 29 anos, sentiram a necessidade da autonomia infantil. Uma cartilha, com experiências guiadas e instruções será disponibilizada aos participantes. “Faremos o lançamento oficial na feira. Em 2024, faremos nas escolas municipais de Santos. Nosso objetivo é ampliar para toda a Baixada Santista”, afirma a coordenadora de educação ambiental, Ana Carolina Fornicola. 

A iniciativa visa empoderar as crianças, para que elas possam aprender sobre o meio ambiente na prática. O conhecimento sobre sustentabilidade permite entender como as ações cotidianas impactam os oceanos.  “Isso promove a responsabilidade ambiental e o desenvolvimento de hábitos sustentáveis, contribuindo para a preservação dos ecossistemas marinhos e, por extensão, para o equilíbrio do planeta”, comenta. 

A mascote do projeto, uma raia-manta em tamanho real, estará presente e irá destacar sobre a importância da preservação da espécie. “Quando as crianças aprendem sobre animais ameaçados de extinção, como é o caso das raias-mantas, desenvolvem empatia pela vida selvagem, o que possibilita compreender o valor da conservação para manter a biodiversidade”, conta. 

O animal marinho pode atingir 8 metros de comprimento e pesar cerca de 2 toneladas. Trata-se  da maior espécie de raia do mundo, descrita em 1792 pelo ictiólogo alemão Johann Julius Walbaum. Elas são capazes de deslocar-se por grandes distâncias nos oceanos e realizam mergulhos a profundidades superiores a mil metros. Costumam frequentar o litoral nos meses em que a temperatura da água está mais fria. 

EXPERIÊNCIAS

As aulas de ciências são oportunidades de experimentar e observar o novo. Para aprender sobre genética, de maneira prática, as crianças irão acompanhar a extração do DNA de um morango. O processo ganha um significado diferente, aproximando da rotina o que antes parecia estar distante. 

“As ações lúdicas são atrativas para as crianças. Através de jogos e atividades que integram os alunos, eles se interessam pelo assunto e aprendem com mais facilidade, já que colocam a mão na massa”, comenta a oceanógrafa e pesquisadora do Projeto Mantas do Brasil, Letícia Schabiuk.

Os pequenos cientistas  também poderão analisar uma amostra de água e sedimento marinho. Irão verificar a temperatura, cheiro, cor, presença ou ausência de resíduos nas amostras, enquanto os monitores ambientais explicam sobre a importância do ambiente limpo, saudável e equilibrado. 

O protagonismo infantil na ciência estimula a curiosidade e o pensamento crítico. “Ao incentivarmos crianças a explorarem o mundo, garantimos que novas habilidades ganhem espaço, como a observação, questionamento e resolução de problemas, contribuindo para a formação de futuros cientistas e cidadãos engajados”, afirma Ana Carolina. 

PROJETO MANTAS DO BRASIL

Fundado há 10 anos, em Santos, visa preservar as raias-manta, uma das maiores espécies de raia do mundo. A voz brasileira na luta de conscientização, através de ações de pesquisa e educação ambiental. Recebe patrocínio da Autoridade Portuária de Santos (APS), administradora do Porto de Santos. 

O projeto é realizado nacionalmente pelo Instituto Laje Viva,  organização não governamental (ONG) privada sem fins lucrativos voltada à pesquisa marinha. A entidade nasceu através da indignação de mergulhadores, diante da pesca e caça ilegal, que ainda ocorre no Parque Estadual Marinho Laje de Santos. O rochedo, localizado a 35 quilômetros da costa,  além de ser salvaguardado pela legislação brasileira, pela Polícia Ambiental e pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), é preservado pela ONG. 

RAIAS-MANTA

Atualmente a espécie com ocorrência comprovada no Brasil (Mobula birostris) está ameaçada de extinção,  segundo a Red List, feita pela  União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). 

Biólogos lutam contra o tempo para salvar a espécie.  Em 2013, houve a proibição da pesca predatória  no Brasil. No mesmo ano, no país,  foi criada a Instrução Normativa Interministerial MPA/MMA, que proíbe a pesca, retenção a bordo e comercialização em todo o território nacional.

Em Santos, a última aparição aconteceu em maio deste ano. Isto não acontecia desde 2019.  A ‘gigante’, batizada de Debi pelos pesquisadores, era uma fêmea de cerca de 4 metros de comprimento. O Projeto Mantas do Brasil, nos últimos dez anos, registrou cerca de 90 raias-manta na Laje de Santos. Destas, apenas cerca de 10 foram reavistadas na região.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Nacional

Desmatamento na Amazônia cai 60% em janeiro deste ano

Com 40% de perdas, Roraima lidera ranking dos que mais desmataram

São Vicente

São Vicente inaugura a quinta escola de período integral

AMEI Maria Lourdes Batista, no Parque São Vicente, atenderá cerca de 450 alunos com salas climatizadas, quadra coberta e oficinas extracurriculares

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter