X

Luto

Morre Ryan O'Neal, ator de 'Barry Lyndon' e 'Lua de Papel', aos 82 anos

Causa da morte não foi divulgada, mas o artista lidava com um quadro de leucemia crônica desde 2001

Folhapress - PEDRO STRAZZA

Publicado em 08/12/2023 às 20:37

Atualizado em 08/12/2023 às 20:40

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Ryan O'Neal em cena de 'Barry Lyndon' / Warner Bros Pictures/Divulgação

O ator Ryan O'Neal, um dos atores mais célebres da Nova Hollywood, morreu nesta sexta-feira (8) aos 82 anos. A informação foi confirmada pelo seu filho, Patrick O'Neal, no Instagram. A causa da morte não foi divulgada, mas o artista lidava com um quadro de leucemia crônica desde 2001 e foi diagnosticado com um câncer de próstata em 2012.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

"Ele sempre queria nos ver rindo, e nós todos ríamos dele, toda vez", escreveu Patrick O'Neal. "Nós nos divertimos. Era diversão até o Sol."

Ryan O'Neal foi alçado à fama no começo dos anos 1970, quando fez o papel principal do filme "Love Story - Uma História de Amor" ao lado de Ali MacGraw. O projeto, que foi um dos grandes sucessos de bilheteria daquele ano, rendeu ao ator a sua única indicação ao Oscar e abriu as portas para uma série de colaborações com diretores requisitados daquele momento de transformação da indústria.

Um desses nomes era o de Peter Bogdanovich, cineasta novo que também foi alçado ao estrelato na mesma época e com quem o ator trabalhou em três filmes. O'Neal foi o protagonista de "Essa Pequena É uma Parada", comédia romântica de 1972 e com Barbra Streisand; "Lua de Papel", de 1973 e no qual contracenou com a filha Tatum O'Neal; e "No Mundo do Cinema", de 1976 e sobre os primeiros anos da indústria do cinema.

O artista ainda ficaria marcado na década de 1970 por produções como o faroeste "Os Dois Indomáveis", de 1971 e dirigido por Blake Edwards, e "Caçador de Morte", lançado em 1978 por Walter Hill. Além disso, trabalharia com

Stanley Kubrick no épico histórico "Barry Lyndon", de 1975, que foi produzido logo após o sucesso de "Laranja Mecânica".

Todos esses projetos, ao lado dos resultados da popular série "Peyton Place" nos anos 1960, consagrariam O'Neal como um dos artistas principais -e mais requisitados- daquele tempo.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Economia

Com prejuízo de R$ 500 mi, Carrefour anuncia o fechamento de 123 lojas

Entre as unidades fechadas, 16 são hipermercados da própria marca; os demais são de bandeiras Todo Dia, Nacional e Bom Preço

Cotidiano

Congestionamento na Rodovia Anchieta já passa de 10 quilômetros

Cinco pontos do Sistema Anchieta-Imigrantes apresentam congestionamentos em direção ao Litoral; confira quais

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter