Modelo transexual brasileira anuncia série gravada em Paris para o Amazon Prime

Wanda transformou suas aventuras por terras internacionais em um roteiro para uma série que mostra seu estilo de vida

Comentar
Compartilhar
01 DEZ 2020Por Da Reportagem18h20
Wanda conta também que já pensa em uma segunda temporada e também pretende usar a voz e a mídia da série para levar representatividade para pessoas transexuaisFoto: Reprodução / Instagram

Há mais de cinco anos a modelo e empresária brasileira transexual Wanda Araújo vive no exterior. Formada em moda pela faculdade Anhanguera de São Paulo, Wanda transformou suas aventuras por terras internacionais em um roteiro para uma série que mostra seu estilo de vida. O que a modelo não imaginava é que no dia das gravações do primeiro episódio de sua série "Menina do Mundo" seria decretada a quarentena obrigatória na França em combate ao Coronavírus, mudando radicalmente seus planos.

Mesmo com as dificuldades e limitações, Wanda decidiu seguir em frente com a produção, adaptar o roteiro e lançar o projeto: "Passamos uma quarentena muito restrita em Paris, mas decidimos não abandonar o projeto. Passamos a gravar todo o cotidiano da nova realidade e trouxe muito mais verdade ao projeto. Produzir uma série durante a pandemia me ensinou que tudo é possível quando se tem força de vontade" diz Wanda, protagonista da série que tem Junior Franch como diretor.

Wanda conta também que já pensa em uma segunda temporada e também pretende usar a voz e a mídia da série para levar representatividade para pessoas transexuais: "O Brasil é um país muito transfóbico que necessita de políticas públicas para pessoas trans urgentemente, o fato de ter pessoas ocupando cargos de destaque na política, mídia, negócios só vai impactar de forma positiva e trazer esperança para essa parcela de pessoas que sempre viveu às margens de uma sociedade hipócrita".

De acordo com Wanda, um dos motivos de não voltar ao Brasil é uma questão de segurança: "Eu costumava visitar o Brasil ao menos uma vez por ano, depois que Bolsonaro foi eleito e eu estive lá pela última vez entendi que não era um lugar seguro pra mim, mas amo o país e tenho muitos amigos, mas o país precisa discutir a intolerância."

A série original teve pré-estreia no Youtube e chegará em breve ao catálogo da Prime Video, plataforma de streaming da poderosa Amazon.