Homenageada, Itanhaém esclarece que nada pagará à Perola Negra

Com o enredo ‘Itanhaém, hoje a Pérola é você’, a Escola de Samba tem um orçamento estimado em R$ 2,2 milhões

Comentar
Compartilhar
17 OUT 201112h35

Matéria publicada na edição da Revista Veja São Paulo, distribuída no sábado, intitulada ‘Samba Vendido’, com enfoque nas parcerias comerciais das escolas de samba de São Paulo, com orçamentos milionários, gerou um ti ti ti na Baixada Santista, neste início de semana. É que a cidade de Itanhaém será homenageada pela agremiação Pérola Negra, em 2012, que tem orçamento estimado de R$ 2,2 milhões.

O ecoar dos tamborins desceu a serra porque a reportagem indica: “quem está por trás do enredo: Prefeitura de Itanhaém”. Ao ser questionada sobre o preço da homenagem no carnaval paulistano, a Administração Municipal enviou nota esclarecendo que nada pagará à Perola Negra.

”A Prefeitura de Itanhaém esclarece que não há qualquer investimento público do município de Itanhaém. O que há é uma parceria para divulgar a venda de fantasias da escola Pérola Negra junto aos munícipes, que vai homenagear a cidade que comemora 480 anos de fundação. A Liga das Escolas de Samba de Itanhaém (Leci) é a responsável pela comercialização. Aliás, os custos do desfile, estimados em R$ 2,2 milhões, são pagos pela Prefeitura de São Paulo, Rede Globo e participação na venda de ingressos, totalizando R$ 1,9 milhão, e o restante, R$ 300 mil, a escola conta com venda de fantasias”.

O secretário de Governo de Itanhaém, Silvio Lousada, explicou que para que a Prefeitura destinasse recursos para a escola de samba paulistana, seria necessário antes remeter a subvenção à aprovação da Câmara Municipal. O secretário garante que não há possibilidade de se levantar essa subvenção.

Com o enredo ‘Itanhaém, hoje a Pérola é você’, a escola de samba “se prepara para louvar as belezas de Itanhaém, no litoral do Estado”, conforme citação da reportagem da Veja São Paulo. Para o secretário, o valor desse desfile para Itanhaém será a repercussão internacional da cidade que se aproxima dos 500 anos, por meio da mídia.