Banner gripe

Helle Alves lança livro sobre a morte de Che Guevara

O lançamento do livro de Helle Alves acontece no dia 10 de novembro, às 18 horas, na Associação Cristã de Moços, na Avenida Francisco Glicério, 511

Comentar
Compartilhar
05 NOV 201209h45

Helle Alves, uma das mais antigas jornalistas do país, lança no dia no sábado 10 de novembro o livro “Eu vi”, que conta sobre a sua vida de repórter e, principalmente, sobre o dia da morte de Che Guevara, presenciado pela jornalista, na Bolívia. O lançamento do livro acontece às 18 horas, na Associação Cristã de Moços, na Avenida Francisco Glicério, 511.

Jornalista desde os 15 anos de idade, hoje com 85, Helle iniciou sua carreira em 1959 nos Diários Associados, onde conheceu Assis Chateaubriand, e já entrevistou nomes como: Pablo Neruda, Chico Xavier, Chico Buarque de Holanda, a Rainha Elizabeth e vários outros. 
 
Além da morte de Che Guevara, quando estava acompanhada pelo fotógrafo Antônio Moura e o cinegrafista Walter Gianello, o livro relembra outras histórias como: a revelação de Chico Xavier no programa Pinga Fogo, os grandes festivais musicais e o início de carreira de Chico Buarque, Caetano Veloso, Roberto Carlos e outros nomes da MPB. Além do preconceito em trabalhar em uma redação onde era a única mulher.
 
Além da morte de revolucionário, outras histórias marcantes da vida da jornalista são contadas no livro (Foto: Matheus Tagé)
 
Helle Alves contou um pouco sobre o aconteceu no dia da morte de Che Guevara. “O povo queria vê-lo e derrubou o portão do lugar onde o corpo estava. Uma roda se formou em torno do corpo. As pessoas curiosas queriam ver, mas não tinham coragem de tocar nele”.
 
“No meu tempo de repórter a noticia era colhida ao vivo, com muitas viagens, muita rua e meios de transporte os mais diversos, da carraça ao avisão. E enfrentando obstáculos, censura e limitações. Nosso trabalho era artesanal”, explica Helle.
 
A jornalista ainda afirma que Eu vi é indicado, principalmente para jornalistas, e também para aqueles que gostam de história. “O livro pode servir de informação e incentivo à classe jornalística, pois não fala sobre mim, e sim sobre os momentos que vivi na profissão. Ele também é indicado para quem aprecia história”.
 
Os jornalistas que comparecerem ao lançamento do livro receberão um exemplar gratuitamente. “Terei muito prazer em dar um livro autografado para os colegas de profissão”, finaliza Helle Alves.

Colunas

Contraponto