Guarujá inaugura primeiro centro de capacitação para dança, música e teatro da Região

O Ateliê Artes no Palco traz diversas oficinas para artistas amadores e profissionais, e estará aberto ao público a partir desta quinta-feira (16)

Comentar
Compartilhar
14 ABR 201516h31

Agora, os amantes de cultura da Baixada Santista têm um local específico para participarem de oficinas e ateliês de diversos assuntos focados em dança, música e teatro. Isso porque a Prefeitura de Guarujá inaugura, nesta quarta-feira (15), as 18h30, o “Ateliê: Artes no Palco”, que é o primeiro espaço para capacitações culturais da Baixada Santista. O equipamento atenderá artistas profissionais e amadores e, a partir de quinta-feira (16), estarão abertas inscrições para as oficinas de sensibilização artísticas, para amadores.

O novo equipamento fica na Rua Washington, 201, em Pitangueiras, região central da Cidade, e funcionará de segunda a sexta-feira, das 9 às 21 horas, tendo, aos sábados, uma eventual atividade marcada. O “Artes no Palco” oferecerá três atividades diferentes: aulas de sensibilização artística para amadores, ateliês específicos para profissionais, e shows em praças públicas agendados conforme o tempo.

Apenas as oficinas de sensibilizações estarão com vagas abertas. Ao todo, são 18 aulas em quatro meses, para amadores com idade a partir de dois anos. Para se inscrever, é necessário ir até o local a partir de quinta-feira (16) e apresentar um documento com foto. Caso o interessado seja menor de 18 anos, é necessário que ele esteja com o responsável legal.

De acordo com a diretora de Políticas Públicas da Secretaria Municipal de Cultura, Alexandra Linda, o objetivo destas aulas é “despertar o interesse pela cultura por meio de uma das três atividades foco do equipamento: música, teatro e dança. Esperamos contribuir com o descobrimento de uma nova atividade de prazer ou lazer daqueles que participarem das aulas de sensibilização”, explica.

E para os artistas profissionais, o Ateliê: Artes no Palco trará mais 24 ateliês específicos a respeito de temas como dramaturgia, música, cenografia, entre outros. Todos com relação direta com uma das três artes foco. Alexandra conta que as vagas para os ateliês já foram sanadas, mas destaca que, conforme abram novas turmas, serão publicados editais com as informações necessárias para a inscrição.

E não é só isso. O equipamento também dará espaço para artistas profissionais se apresentarem eventualmente em praças públicas de Guarujá, sendo agendados e divulgados conforme o tempo. “É a oportunidade de artistas da Cidade mostrarem seu trabalho ao público, sem a necessidade de ser apenas em festas ou eventos municipais. É deixar a cultura mais acessível”, destaca a diretora.

Alexandra conta também que está contente com o feito da Secretaria Municipal de Cultura. “É de um projeto público assim que a população precisava. Não há equipamentos assim na Baixada Santista, o que é um ponto muito positivo para Guarujá. Estamos dando mais espaço para discutir e proporcionar cultura.”