Fortaleza da Barra é cenário para espetáculo “O Ilha do Tesouro” a partir de sexta (5)

“O Ilha do Tesouro” está há quase 10 anos em cartaz, em São Paulo

Comentar
Compartilhar
04 SET 201415h49

Uma verdadeira aventura em busca de um tesouro perdido com uma série de obstáculos, piratas e um cenário histórico natural à beira-mar, será a experiência proporcionada em “O Ilha do Tesouro”, espetáculo que será encenado a partir desta sexta-feira (5), às 11 e 15 horas, no Museu Histórico da Fortaleza da Barra Grande, em Santa Cruz dos Navegantes. A atividade interativa integra a programação do Mirada 2014, promovido pelo Serviço Social do Comércio (Sesc) e conta com apoio da Prefeitura de Guarujá, responsável pela administração da Fortaleza da Barra.

O patrimônio histórico fica em Guarujá, entre as praias de Santa Cruz dos Navegantes e a praia do Góes. O equipamento foi construído pelo almirante espanhol Diogo Flores Valdez, em 1584, após o ataque dos piratas ingleses à Vila de Santos, para reforçar a guarda da costa brasileira. Agora, aquelas narrativas dos livros de História poderão ser vividas de forma lúdica por crianças de 7 a 11 anos e seus pais ou familiares nos dias 5, 6, 7, 8, 12 e 13 de setembro, em dois horários: 11 e 15 horas. Os convites podem ser obtidos no portal do Sesc (http://www.sescsp.org.br/programacao/41444_MIRADA+2014#/content=programacao) nos valores de R$ 30 (inteira), R$ 15 (meia) e R$ 7,50 para trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes.

(Foto: Raimundo Nogueira/PMG)

“O Ilha do Tesouro” está há quase 10 anos em cartaz no Teatro Centro da Terra, em São Paulo. A censura é livre e a duração é de 120 minutos. De acordo com o diretor do espetáculo, Ricardo Karman, artista convidado pelo Sesc para o Mirada 2014 na Baixada, a peça é uma experiência de integração entre pais e filhos ou adultos e crianças com uma forte relação afetiva.

Guerra de bolinha de meia, lutas com espadas de plásticos e cócegas são algumas das situações da trajetória da caça ao tesouro pelos quais os participantes irão passar. “Trata-se de um espetáculo de teatro-aventura na Fortaleza da Barra e trilhas, que começa ao lado de Santos, na Ponte Edgard Perdigão. O público vem de barco, passa pela Praia do Góes e segue para a Fortaleza. Os pais viram piratas e as crianças vão em busca do tesouro, que é real, verdadeiro e surpreendente. Já ganhamos diversos prêmios e somos considerados o melhor espetáculo do gênero no Brasil. É uma aventura artística inesquecível”, relatou Karman.

Para o secretário municipal de Cultura, Odair Dias Filho, o fato do Museu Histórico Fortaleza da Barra integrar a programação do Mirada pela primeira vez é um momento ímpar para a política cultural da Cidade. “Um equipamento histórico da importância da Fortaleza, além de ser um espaço de memória tem que ser também um local de intervenções culturais e artísticas, que proporcione às pessoas o apoderamento deste patrimônio como elemento constitutivo da sua identidade histórica”

Montagem – A diretora de Patrimônio Histórico Cultural e Arquitetônico da Prefeitura, Patrícia Regina Gomes de Lima, está acompanhando a montagem da estrutura no local, destacando que tudo tem sido feito com muito cuidado. “Estamos monitorando, zelando e salvaguardando o patrimônio histórico. Aqui estamos oferecendo um cenário histórico natural para a montagem desta peça interativa, tanto para o público infantil como adulto. Utilizaremos a trilha histórica da Fortaleza. Será uma oportunidade única de voltar na história da Fortaleza de forma lúdica, interagindo com os atores da peça”, contou Patrícia.

Primavera dos Museus – A diretora comentou ainda que haverá a reabertura da trilha de Santa Cruz dos Navegantes durante a Primavera dos Museus, que acontecerá na Fortaleza da Barra, de 22 a 28 de setembro, das 9 às 16 horas. Os interessados podem entrar em contato por e-mail [email protected] ou pelo telefone (13) 3384-6194.