Festival Estudantil já está na 17ª edição

O Festival Estudantil Mongaguá de ­Cultura é dividido em 9 modalidades

Comentar
Compartilhar
17 SET 2018Por Andressa Aricieri11h13
O Festival Estudantil Mongaguá de ­Cultura é dividido em 9 modalidadesO Festival Estudantil Mongaguá de ­Cultura é dividido em 9 modalidadesFoto: Divulgação

Para inserir a cultura na cabeça das crianças, é necessário promover eventos diferenciados. Já que hoje está tudo tão modernizado, chamar a atenção não é fácil. Por isso, o Festival Estudantil Mongaguá de ­Cultura (FEMC) já acontece há 17 anos.  O FEMC é dividido em 9 modalidades (dança, teatro, coral, composição musical, pintura, escultura, fotografia, colagem e conto literário) e três subgrupos (infantil, infanto-juvenil e juvenil). 

A ideia do evento é reunir uma mostra competitiva multicultural. Segundo a Assessoria de Imprensa do FEMC, a missão do festival “é propor um espaço de convergência entre jovens artistas que, através dos processos criativos, ultrapassem a competição, dinamizando os mecanismos educacionais que potencializam seu desenvolvimento pessoal, podendo difundir as ações locais para o incentivo às artes e à cultura”. 

Reunindo toda a rede escolar da cidade, a programação teve início no dia 1º de setembro e acontece até o próximo dia 29. As mostras são quase todas gratuitas, tirando uma apresentação de dança e um festival de capoeira. Além das competições de teatro e artes, conta também com sessões especiais do Curta Santos, Encontro Regional de Violões, Congresso de Dança, Palestras, Oficinas, Stand-Up e outras ­atividades.

Andress Correa é o Coordenador Geral do Festival e começou a carreira no FEMC há 10 anos, quando foi premiado no teatro juvenil com um monólogo. “Desde então dedico minha carreira aos palcos. Ter as unidades escolares e o corpo docente como aliados é uma ferramenta infalível no desenvolvimento das artes e da cultura na nossa cidade”, explica o rapaz. 

De acordo com ele, existe um tripé responsável pela transformação na nossa sociedade: a família, a escola e o poder público. O espaço entre elas poderá ser mais estreito apenas com a intervenção da arte. 

Para o reconhecimento do esforço dos alunos (estimados em 12 mil somente neste ano), haverá uma cerimônia de premiação no dia 29, às 20h. A entrada é gratuita e vai acontecer no Centro Cultural Raul Cortez.