Espíritas recomendam seguidores sobre como responder ao IBGE

Uma das comunidades que mais cresce no Brasil é a espírita

Comentar
Compartilhar
20 JAN 201311h09

Acredita-se que três milhões de brasileiros sejam seguidores do espiritismo no País, onde a doutrina codificada por Allan Kardec foi bastante difundida e ganhou notoriedade, principalmente com os trabalhos realizados por Francisco Cândido Xavier. Mas, instituições espíritas questionam a forma como o IBGE está direcionando a pesquisa do Censo 2010 para confirmar o universo real de seguidores da doutrina espírita de Kardec.

No dia 2 de agosto, a Federação Espírita Brasileira (FEB) divulgou nota em seu site recomendando como os espíritas devem responder à pesquisa dos recenseadores do IBGE, de modo que o resultado obtido ao término da pesquisa seja o mais próximo da realidade. Na relação do IBGE, as religiões, doutrinas e instituições filosóficas são identificadas com códigos numéricos.

No caso do espiritismo, todas as entidades afins levam o mesmo código de número 610. Sejam elas de orientação “Kardecista” ou não. “Por orientação do presidente Nestor João Masotti, ausente do País em viagem a Nova York, em evento que homenageia Chico Xavier, na sede da ONU, retificamos a informação transmitida no dia 2 de agosto, a respeito do Censo demográfico 2010, promovido pelo IBGE.

Diante dos novos esclarecimentos, obtidos em consulta direta ao órgão, pedimos considerar que, aos pesquisadores do IBGE, poderão ser respondidas as alternativas ligadas ao código 610, todas relacionadas a uma mesma opção: Espírita.

A exemplo, poderão ser respondidas as opções Allan Kardec, Cardecismo, Cardecista, Kardecismo, Kardecista, Centro Espírita, Doutrina Espírita, Federação Espírita Brasileira e Espiritismo, entre outras, como estão relacionadas no documento do IBGE que anexamos”.     

O coordenador do Movimento Inter-religioso da Baixada Santista e membro do Movimento Espírita Regional, José da Conceição de Abreu, afirma que o Censo 2010 do IBGE divulgará número “irreal” dos seguidores do espiritismo no Brasil.

Seguidor da doutrina espírita de Allan Kardec e colunista do DL, Zezinho, como é conhecido, afirma que o próprio termo “espírita” já é usado de forma errada no Brasil. “O livro dos Espíritos — primeiro livro da doutrina — descreve que o espírita é o seguidor do trabalho desenvolvido por Allan Kardec e que o Espiritismo é o conjunto das mensagens codificadas por ele. Então é considerado espírita o seguidor da doutrina codificada por Kardec. Outro erro é chamar o espírita de kardecista.

O espírita não segue Kardec e sim a mensagem dos ensinamentos de Jesus Cristo codificada por Kardec. No Brasil há uma generalização”, explica Zezinho, afirmando que não há uma diferenciação entre espíritas e espiritualistas.

Zezinho diz ainda que a Federação dos Espíritas do Brasil não foi consultada pelo IBGE para a formulação das questões religiosas pertinentes ao espiritismo. A lista do IBGE das religiões e doutrinas filosóficas tem 33 páginas e elas são identificadas por códigos numéricos. A lista está disponível no portal da Federação Espírita Brasileira http://www.febnet.org.br/site/.

Seguidores

Segundo Zezinho, há aproximadamente 140 casas espíritas em toda a Baixada Santista, cerca de 75 só em Santos. “Pelos números oficiais, no Brasil existem 10 mil casas espíritas e 3 milhões de seguidores do espiritismo, mas esses números não refletem a realidade, porque o número de freqüentadores varia de casa para casa e tem ainda os seguidores que não freqüentam as casas ou grupos espíritas.

Os grupos ou associações espíritas são chamados erroneamente de centros. Só no Estado de São Paulo há pelo menos 4.400 casas espíritas oficiais”.