Educação alimentar nas escolas é tema de encontro

A educação alimentar nas escolas da rede pública suplementando a proposta pedagógica foi o tema do ‘Encontro de Gestores da Educação: A Escola na Promoção da Alimentação Saudável’

Comentar
Compartilhar
11 FEV 201315h51

No evento, promovido pelo Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição Escolar da Região Sudeste (CECANE), também foi enfatizada a qualidade da merenda servida nas escolas. Secretários de Educação de municípios de todo o Estado participaram do encontro, realizado no Parque Balneário Hotel, no Gonzaga, em Santos.

De acordo com a coordenadora de gestão do CECANE-Sudeste, Cristina Gaglianone, o encontro com gestores da Educação tem por finalidade sensibilizar as instituições de ensino público para promoverem a educação alimentar.

O CECANE é um dos parceiros do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) voltado para 35 milhões de alunos de educação infantil e fundamental em todo o país. O PNAE visa incentivar hábitos alimentares saudáveis nos estudantes. O programa recebe R$ 1,6 bilhão do Fundo Nacional para o Desenvolvimento Alimentar na Educação (FNDE) e é visto como referência por países da África e da América Latina, segundo a coordenadora do PNAE Eliene Ferreira de Souza.

Eliene afirmou que está em tramitação no Congresso Nacional projeto de lei autorizando o aumento do repasse do FNDE para R$ 2 bilhões. A proposta é ampliar o programa de alimentação escolar também para o ensino médio. O PNAE é desenvolvido em parceria interministerial e com oito universidades federais do país. Estão envolvidos os ministérios da Saúde e da Educação.

Gaglianone explicou que as universidades (centros colaboradores) desenvolvem pesquisas, capacitação de nutricionistas e merendeiras e de conselheiros de alimentação. 

A coordenadora da Merenda Escolar da Secretaria de Educação de Santos, Lygia Maria Rezende, afirmou que o Município já desenvolve programas como o ‘Alimentação Nota 10’ e ‘Alimentação Saudável’, em parceria com o CECANE-Sudeste.

Em Santos, os programas de educação alimentar são promovidos em todas as escolas da rede pública municipal e estadual atendendo 55 mil alunos. Lygia disse que participou do encontro para conhecer as ações realizadas pelo PNAE e programas de outros municípios. “A troca de conhecimentos é importante para aprimorarmos a educação alimentar nas escolas”, disse a coordenadora.

A presidente da Associação Brasileira de Nutrição (ASBRAN), Andréa Galante, ressaltou a importância da educação alimentar para hábitos saudáveis como fator para prevenir doenças como diabetes, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer. “Essas doenças surgem muitos anos depois e, em muitos casos, tem forte relação com a má alimentação”.