Dia de Santo Expedito

No dia do santo das causas urgentes, uma multidão em busca do fim das aflições e outra, agradecendo a graça alcançada

Comentar
Compartilhar
04 MAR 201323h09

Movimento intenso na Igreja Imaculado Coração de Maria, na Vila Mathias, em Santos, durante todo o dia de ontem. Eram  fiéis que buscavam junto à Santos Expedito — o santo das causas urgentes — soluções para os problemas mais difíceis. Outros devotos apenas agradeciam aos pés da imagem de Santo Expedito ou acendendo velas. Na entrada da igreja, um livro com registros de centenas de graças alcançadas.

O pároco da Igreja Imaculado Coração de Maria, padre Cláudio Scherer, estimou entre sete e dez mil fiéis estiveram na igreja ontem participando das missas e da procissão, programadas para o dia da celebração do santo guerreiro. A Festa à Santo Expedito é celebrada há cerca de dez anos na paróquia, segundo o padre Cláudio.

A atriz Maria Thereza Gonçalves distribuiu santinhos aos fiéis presentes como faz todos os anos. “Eu faço isso porque tive uma graça alcançada e para mim isso é um ato de respeito e de fé em Santo Expedito. Ele era um homem guerreiro, soldado e por isso merece nosso respeito”, declarou.

Buscando uma saída para suas aflições, a aposentada Maria Luiza Santos, que mora em São Vicente, chegou à Igreja Imaculado Coração de Maria, na manhã de ontem. Maria Luiza acendeu uma vela e suplicou, em oração, à Santo Expedito, a liquidação da dívida contraída pela sobrinha. “Eu sou aposentada e não posso pagar. Já fiz três empréstimos para a minha sobrinha. Então eu vim aqui pedir ajuda à Santo Expedito”, disse Maria Luiza emocionada e aflita com o problema.

Padre Cláudio explicou que o santo se chama Expedito devido as circunstâncias de sua conversão. Quando estava prestes a se converter ao cristianismo, apareceu-lhe um espírito do mal na forma de um corvo, grasnando “cras” — que em latim, significa “amanhã”. Porém convicto de sua fé, Expedito pisoteou o corvo, bradando “hodie”, que quer dizer “hoje”, confirmando sua urgente conversão. O suplício de Expedito ocorreu dez anos antes da abertura ao Cristianismo pelo imperador Constantino.

Santo Expedito

Santo Expedito era comandante-chefe da XII Legião Romana do distrito de Melitene, na Capadócia (sede de uma das províncias romanas da Armênia), quando se converteu ao cristianismo juntamente com sua tropa, no final do século III. Época de forte perseguição aos cristãos, o soldado do alto escalão do exército romano foi condenado à morte pelo imperador Diocleciano, por sua fé. Santo Expedito foi torturado com flagelos — chicotes com pontas de ferro que cravavam na pele — e decapitado no dia 19 de abril o ano de  303, da Era Cristã.