Dia de Nossa Senhora de Fátima

Fé e devoção conduzem católicos em procissão de louvor à Santíssima

Comentar
Compartilhar
13 MAI 201114h41

Sexta-feira, 13 de maio. O dia nublado com possibilidade de chuva a qualquer instante não desanimou os devotos que, guiados pela fé, caminharam em procissão de louvor a Nossa Senhora de Fátima. Ontem, os católicos celebraram os 94 anos da aparição da Virgem Maria às três crianças pastoras de Fátima, em Portugal.

A procissão partiu da Paróquia de Nossa Senhora Aparecida, no bairro Aparecida, às 15h35, seguiu pela Avenida Afonso Pena até a Igreja de São Benedito, no Embaré, onde foi celebrada uma missa. Após a missa, a procissão tomou rumo até a imagem de Nossa Senhora de Fátima do Porto de Santos, em Outeirinhos, para a benção e encerramento das comemorações.

A imagem chegou à Paróquia de Nossa Senhora de Fátima por volta das 15h e logo um grupo de fiéis se aproximou e a cercou. Cada um, em seu momento particular, tocou o vidro que protegia a imagem da Virgem de Fátima, fez uma prece. Tudo muito sereno, sem tumulto. Havia espaço para todos, ao seu modo, reverenciarem Maria, a intercessora dos católicos junto ao seu Filho, Jesus Cristo.

O funcionário público aposentado, Luiz Bovério Netto, de 84 anos, tinha lágrimas nos olhos. Participando da procissão pela segunda vez, Luiz estava emocionado, num dia tão especial. Era seu aniversário e ele completou 84 anos ontem. “Estou muito emocionado. Ter nascido no Dia de Nossa Senhora de Fátima e participar dessa procissão é uma benção”.

A fé a gratidão levaram a aposentada Ivone Chagas, de 80 anos, até a procissão. Ela agradecia à Virgem Maria ter sobrevivido após ser desenganada pelos médicos. Bastante emocionada dona Ivone disse que após se submeter a sua segunda cirurgia cardíaca entrou em coma e sofreu uma parada cardíaca. “Os médicos diziam que eu tinha 2% de chance de sobreviver. Mas, rezaram por mim e o pedido foi atendido.

Eu operei na terça e na segunda (seis dias depois) eu saí do hospital andando”, contou dona Ivone e novamente seus olhos se encheram de lágrimas. “A fé é tudo na vida e eu agradeço a Deus e à Nossa Senhora por isso”, afirmou Ivone.

O estudante Lucas Pedro dos Santos Souza, de 15 anos, estava feliz. Aprendeu com sua avó a reverenciar a Santíssima a quem atribui uma graça alcançada. “Eu fui atropelado há um ano e pedi à Nossa Senhora para ficar bom e ela me atendeu”. Lucas Pedro disse que voou por cima do carro e teve um ferimento na perna esquerda. Enquanto conversava com a reportagem, o jovem devoto mostrou sua medalha oriunda de Fátima, em Portugal, que carrega consigo como uma proteção.

As celebrações com missas e procissões em louvor à Virgem de Fátima já fazem parte do calendário oficial de Santos há sete anos. “Eu faço com amor. Ela merece, é a Mãe de nós todos. Nada nos leva adiante a não ser a fé”, afirmou a coordenadora dos Peregrinos de Nossa Senhora de Fátima do Porto de Santos, Maria Alice de Almeida Leça, organizadora das celebrações, todos os anos.

Maria Alice disse que no dia 13 de Maio é celebrado o aniversário da aparição de Nossa Senhora, em Fátima, Portugal, e no dia 13 de dezembro, os fiéis celebram os 60 anos do monumento em homenagem à Nossa Senhora de Fátima do Porto de Santos. A imagem está situada em uma Praça em Outeirinhos, em frente ao Terminal Marítimo de Passageiros. “A cada ano sinto que aumenta a fé das pessoas”, afirmou Maria Alice.